banner multi
Capa Memória Colunistas Cinema em Pauta Os Três Mosqueteiros (2011)
cinema-pauta
Os Três Mosqueteiros (2011) Imprimir
Escrito por Bruno Moura   
Terça, 01 de Novembro de 2011 - 08:59

mosqueteirosO gênero steampunk ultimamente tem conquistado a literatura e, ao que parece, se estende também para a sétima arte. Já tivemos exemplos de outros filmes do gênero como A Máquina do Tempo (2002) e A Liga Extraordinária (2003). Agora, a história dos Três Mosqueteiros é retratada sob esta ótica.

Verdade seja dita, o filme é divertido. Até empolga, mas falta o fator "história". Não há uma história cativante além do fato que a história dos personagens não acaba sendo bem desenvolvida. O filme conta com reviravoltas que prendem a atenção do telespectador juntamente com os belos efeitos especiais. Neste passo também fica a sensação de que a história tem um desenvolvimento forçado. Após o primeiro ato, quando os personagens são apresentados, o acaso junta os protagonistas apresenta os problemas e os une de forma tão repentina que parece que não tiveram tempo de respirar.

As tramóias palacianas são mostradas junto com a personalidade de cada "mocinhos", apresentadas com um pequenos vislumbre. Daí em diante vem ação. Temos então, ação e mais ação. Claro, este é o ponto alto do filme que tem o destaque pelo 3D bem desenvolvido. Sem contar que este também é a proposta do filme. Quem gosta de cenas empolgantes há de se esbaldar na cadeira do cinema. Quem prefere histórias envolventes com certeza sairá indiferente. Agora, quem é fã da história original irá sair decepcionado com a deturpação ocorrida na trama do filme.

Na obra original, a rainha possuía um caso com o duque de Buckingham. No filme não. Isso por si só muda toda a perspectiva que girava entorno da obra original de Alexandre Dumas. Se sabe que qualquer adaptação cinematográfica não segue com total fidelidade a obra original, porém, sabe-se que certos pontos básicos não devem ser totalmente alterados.

As locações e figurinos foram o destaque. Na parte de atuações, Orlando Bloom (Duque de Buckingham) e cadeal Richelieu (Christopher Waltz) tiveram as atuações de destaque. Matthew Macfadyen, Luke Evans e Ray Stevenson encarnaram os três mosqueteiros e ao meu ver não mostraram tudo o que poderiam por falta de oportunidade. Milla Jovovich (Milady de Winter) e Logan Lerman (D'Artagnan ) foram caricatos demais nas atuações.

Depois do final, fica a impreensão de mais uma franquia que vem para saturar a indústria cinematográfica. Como o objetivo de todo o trabalho é o lucro, se torna compreensível o motivo dos estúdios investirem em trilogias e afins. O filme é divertido, mas não passa de mais um filme de sessão da tarde.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA