A Hora do Espanto Imprimir
Escrito por Bruno Moura   
Segunda, 07 de Novembro de 2011 - 14:24

hora-espantoEsqueça as bizarrices de Crepúsculo. Em A Hora do Espanto temos o devido tratamento que deve ser dado aos vampiros com morte à luz do sol, estacas no peito e sem reflexos diante de câmeras e espelhos. Essa essência trazida para o filme desperta a nostalgia para os fiéis fãs do gênero terror. Este é o ponto alto do remake de 85, ser simples, objetivo e acima de tudo divertido de se assistir.

A trama não é nada complicada. Basicamente se resume a um vampiro que veio morar na casa ao lado do protagonista. Não existem explicações complexas, apenas algo que ocorreu e que o personagem principal sabe que vai ter que resolver para evitar desastres. Isso da algum espaço para desenvolver os personagens e estabelecer as relações existentes entre cada um. Desde Charley Brewster (protagonista interpretado por Anton Yelchin) sendo importunado pelo seu ex-amigo nerd, Ed Thompson (Christopher Mintz-Plasse) que tenta explicar o perigo do vizinho, até o relacionamento com a sua mãe (Toni Collette) que não acredita no filho.

Collin Farell teve uma atuação destacada. Parecia brincar interpretando o vampiro Jerry que logo tratou de flertar a mãe de Charley. Imogen Poots interpreto Amy Peterson, a namorada do protagonista Imogen ao lado de Colli teve uma atuação muito boa. Anton Yelchin e Christopher Mintz-Plasse tiveram atuações razoáveis, nada que saltasse aos olhos. David Tennant, atuou como o ilusionista Peter Vincent e também teve boa atuação sabendo equilibrar as piadas de acordo com as situações do filme.

A Hora do Espanto tem aquela essência dos filmes de terror dos anos 80/90. Nada de complicações no roteiro, explicações exageradas e excesso de personagens desnecessários. É um filme divertido de se assistir, algo não alcançado freqüentemente pela sétima arte nesta década. O típico filme com inicio, meio e fim que não necessita de continuações. Não há também a saturação de efeitos especiais, que surgem saltando ais olhos apenas no final. O filme se destaca pelas atuações e pela boa montagem do roteiro.

A sensação de satisfação após o fim do filme fica como ponto positivo. Um bom filme para se assistir no cinema no final de semana. Aproveite, não é todo dia que fazem vampiros fiéis aos verdadeiros filmes do gênero terror.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA