Os Infratores Imprimir
Escrito por Bruno Moura   
Quarta, 24 de Outubro de 2012 - 10:15

os-infratoresOs Infratores, dirigido por John Hillcoat (do filme A Estrada), segue uma dos gêneros que mais fazem sucesso e o gosto dos americanos nas telas de cinema. A temática gangster talvez só perca para os clássicos "westerns", e visto que ambos foram utilizados consideravelmente até a exaustão de ideias, é mais surpresa ainda saber que há possibilidade de realizar um bom filme dentro do gênero gangster.

Baseado no livro "The Wettest County in the World", de Matt Bondurant, o filme mostra a história dos três irmãos Bondurant, que vivem (e porque não sobrevivem?) da venda de bebidas destiladas no Estado da Virginia, em 1931, ano em que vigora a Lei Seca. O que se mantinha na mais absoluta tranquilidade muda, quando homens poderosos passam a exigir o pagamento de uma taxa para que façam vistas grossas ao negócio ilegal praticado pelos irmãos e demais vendedores da região. Obviamente os irmãos Bondurant resistem, e um confronto começa a se tornar uma situação cada vez mais irreversível.

Os irmãos Bondurant são liderados por Forrest (Tom Hardy), seguido do mais velho, Howard (Jason Clarke), e do mais novo e despreparado, Jack (Shia LaBeouf). A trama rola numa área interiorana, onde os três irmãos são lendas e acabam confrontados por Charlie Rakes (Guy Pearce), braço direito do Procurador do Estado, que exige o pagamento de suborno. As locações, figurinos e a violência inevitável deram ao filme um ar gangster, complementado pela ótima atuação de Gary Oldman, como Floyd Banner, criminoso procurado em toda Chicago que vem a se tornar cliente fiel dos Bondurants.

A atmosfera caótica interiorana pesa sob o filme, e a sensação que fica é de que nenhum homem está livre de morrer. Em dadas cenas, ocorrem fatos que fazem com que o espectador se pergunte sobre a veracidade das cenas ocorridas e se é possível um homem comum sobreviver ao que os personagens conseguem. Um ambiente onde os criminosos são os heróis e os agentes corruptos da lei os criminosos.

O ponto forte do filme é a sua a trilha sonora que dá um ar country ao longa-metragem, com bons momentos de folk oscilando para algo que lembra um pouco de rock'n roll clássico. A fotografia, praticamente impecável, só não o foi por pequenos descuidos quanto á saturação em uma única cena, quando Forrest Bondurant tem sua garganta cortada após expulsar dois arruaceiros de seu bar. Nesta cena há pouca iluminação, talvez por ter ocorrido a noite, mas senti certo desconforto quanto a ela. Nada que comprometa para quem vai assistir o filme.

A fórmula clássica de violência, usada tantas vezes por Hollywood, é renovada de modo a prender o espectador até o fim, quando ocorre o desfecho final.

Quanto ao livro, "The Wettest County in the World", vale citar que foi escrito pelo neto de Jack Bondurant, Matt Bondurant. Não posso dizer o quão fiel foi a adaptação do livro, afinal jamais li, mas, visto não ter ocorrido nenhum alarde da critica americana, me parece não ter havido problemas no que diz respeito ao quesito. De resto, o filme conta com bom elenco, trilha sonora de bom gosto, violência, tiroteios, gangsteres, belas damas e carros de época tunados. Uma renovação de uma forma clássica que ainda vale a ida ao cinema.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA