banner multi
Capa Memória Colunistas Cronicando
Cronicando

dUBOW1



Festa da democracia Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Sexta, 20 de Fevereiro de 2015 - 17:48

Outubro protagonizou a eleição mais emocionante da história brasileira desde o pleito da redemocratização, em 1989. No Estado ou no País, candidatos disputaram passo a passo, voto a voto, a fim de conquistar o mandato na esfera pública. Quem brindou a essa alucinante corrida foi o povo, que, pensando em um futuro melhor, conseguiu avaliar diferentes propostas de governo.

 
Dilma e Aécio: o primeiro round Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Sexta, 20 de Fevereiro de 2015 - 17:46

dilma ac3a9cioDesmentir, contradizer e sofismar: características que deram a tônica do primeiro debate do segundo turno entre os presidenciáveis, realizado pelo Grupo Bandeirantes na última terça-feira (14). Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) removeram as máscaras dos bem elaborados programas de campanha e se colocaram frente a frente para discutir suas propostas. Em suma, o espaço poderia ter sido mais bem aproveitado. Projetos para o Brasil padeceram às posturas belicosas dos dois candidatos.

 
Decisão soberana Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Sexta, 20 de Fevereiro de 2015 - 17:42

brasilO pleito de 2014 chegou ao fim. O eleitorado nacional colocou a mão no coração e decidiu o que considera o melhor para o país. Esta aí a beleza da democracia: fazer história pelo sufrágio universal. Não há satisfação maior que essa, acredite. No livre exercício da cidadania, o povo elegeu o furacão José Ivo Sartori (PMDB) ao Piratini, e Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, para mais quatro anos no Planalto.

 
O legado desta eleição Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Sexta, 20 de Fevereiro de 2015 - 17:44

eleicoes 2014Esta foi uma eleição de surpresas, de altos e baixos e da convicção de que a democracia saiu mais uma vez vitoriosa. Entretanto, ajustes são necessários, buscando aperfeiçoar o pleito e transformar as campanhas em embates por políticas de estado, não de governo. Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) protagonizaram, com efervescência histórica, um jogo de pancadaria verborrágica em nível nacional. Consequentemente, atiçaram a paciência do eleitorado e dos eméritos “fiscalizadores” da corrida presidencial.

 
Violência ideológica Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Sexta, 20 de Fevereiro de 2015 - 17:39

violencia verbalO presidente do Brasil para o próximo quadriênio já está definido, mas a eleição, no que toca o conflito de ideologias, vai se prolongar por muitos e muitos anos. A polarização do pleito deste ano causou tamanha animosidade que focos de vencidos ainda não aceitam o resultado soberano do palanque eletrônico. Na última semana, uma série de protestos tomou conta do país pedindo o impeachment de Dilma Rousseff e, pasmem, a volta do regime militar.

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA