banner multi
Capa Memória Colunistas Cronicando Engrenagem do mundo
Engrenagem do mundo Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Domingo, 08 de Março de 2015 - 20:53

carteira de trabalho foto de frederico haikalO trabalho, sempre o trabalho. É ele que coroa, muda, faz evoluir. Não existe felicidade sem trabalho, apenas vazio completo. É a forma de preencher a vida, fazer com que ela obtenha incomensurável valor, seja social ou histórico. O trabalho é a ponta da espada: penetra no coração do sistema e coordena a engrenagem que faz do mundo, o mundo. E acredite: não há ironia neste tom.

Não existe trabalho ruim. Edificante ou tedioso, contribui para uma coletividade melhor. Há funções, atividades, e elas precisam ser realizadas. O bom do trabalho é querer sempre mais, progredir dentro de qualidades e limitações. Encontrar uma barreira e transpô-la, seja ela humana, técnica ou pessoal. Esse é o segredo do esforço: descobrir as coisas, por mais difíceis que possam parecer.

Não existe mistério. Trabalhe, trabalhe muito! Vestir a camisa, mas não apenas isso: suar também. Suportar embates com pessoas arrogantes; ser superior quando a razão vale mais que a emoção; ignorar posturas de indivíduos que não irão adiante, por sua inépcia pessoal e intelectual. O trabalho tem dessas: gestão técnica e gestão das pessoas que vivem ao redor. Trata-se de um processo complexo de administração.

Dizem que ao final da vida nos lamentaremos muito mais pelas coisas que não fizemos do que pelo que alcançamos de fato. Discordo veementemente. O trabalho, em cada dia, em cada atitude, em que cada produto desenvolvido é uma benção que não olha para o todo, mas sim às etapas! Um problema solucionado é uma inigualável conquista. E um ode ao engajamento, característica necessária nestes tempos modernos.

O trabalho é o desfecho de luta histórica das massas. Houve tempo onde o trabalhador era uma mola, literalmente, explorado pelos patrões e sem direitos que ressalvassem sua dignidade. Foram épocas conturbadas. Não havia leis que coibissem os abusos. E os poderes, precários, não davam conta de decidir, discricionariamente, os casos concretos. O ser humano era, de fato, uma peça perecível. Caso quebrasse, a troca era imediata, sem espaço a lamentos ou súplicas.

Existem muitos desempregados. Se a vida é cara e alucinante, as pessoas não podem dispor de tempo perdido. Há emprego, há oportunidades, basta procurar atentamente. E se qualificar. Parados, os seres não vão a lugar algum. Vitória exige sacrifício. Vitória é o início de uma grande corrida atrás da presa ou atrás do objetivo ou atrás de um grande propósito. Seja qual for o desfecho prometido, busque a vitória, sempre.

A todos os trabalhadores, o dia merece ser celebrado. É a lembrança de que o poder está com eles. É a eterna memória de que não existe vitória sem valentes soldados que se sacrificam diariamente, usando sua abrangência de vida para cumprir o objetivo das empresas e repartições. Se você se acha pouco neste imenso mercado global, tenha a certeza de sua indispensabilidade.

A data serve para coroar seu esforço, permitindo descanso. Descanse.

Visite também o blog do aluno: http://gabrielguidotti.wordpress.com/

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA