banner multi
Capa Memória Cultura 30 anos de uma chama que não se apagou
30 anos de uma chama que não se apagou Imprimir
Escrito por Nicolas Andrade   
Quinta, 12 de Maio de 2011 - 12:33

Bob-MarleyHá 30 anos, no dia 11 de maio, morria Bob Marley. Mais que um cantor, Bob foi símbolo de um movimento que sempre pregou a paz e o amor entre a sociedade. Os reggaes que facilmente se espalharam pelo mundo, como em um manifesto de paz, fizeram do pequeno sonhador da capital jamaicana, Kingston, um mártir que tem suas frases e pensamentos até hoje vivos na cabeça de diferentes gerações.

Robert Nesta Marley se foi no ano 1981, mas sua estrela continua guiando milhares de pessoas que acreditam que o mundo pode ser melhor, independentemente de credo, raça ou cor.

Autor de músicas como "Three Little Birds", "One Love", "Is this Love", "Buffalo Soldier", entre outros grandes sucessos, que até hoje são reproduzidos nas rádios pelo mundo, Bob deixou uma herança musical completa, onde cada frase mostra o que ele sentia, pensava ou ás vezes algo que ele só queria que fosse verdade.

Vitimado por um câncer no pé, Bob não quis lutar contra seu destino, preferiu seguir seu caminho ao descartar um possível tratamento para sua doença. Acreditava em seus pensamentos e ideais rastafari que não era concebível ouvir médicos que por ele eram tidos como "homens que fingem ter o poder da cura". Isso só reflete a personalidade daquele que declarou amor à natureza e horror a quem tenta mudá-la.

As cores verde, vermelha e amarela da bandeira jamaicana viraram o símbolo de um movimento existente até hoje há exatos 30 anos da última viagem do mito Bob Marley.

"Os homens pensam que possuem uma mente, mas é a mente que os possui. Há pessoas que amam o poder, e outras que tem o poder de amar". Robert Nesta Marley

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA