banner multi
Capa Memória Cultura Ao completar 40 anos, a série 'Chaves' segue no ar
Ao completar 40 anos, a série 'Chaves' segue no ar Imprimir
Escrito por Nícolas Andrade   
Terça, 02 de Agosto de 2011 - 17:29

Em 1971, estreava na rede Televisa do México a série que não tinha muitos ingredientes para o sucesso, mas que, ao longo dos anos, se tornou febre no público latino-americano. Roberto Gómez Bolaños interpretou o menino Chaves, garoto órfão que vive suas aventuras em uma vila.

O público alvo inicial eram os adultos, porém, em pouco tempo, as crianças do México começaram a idolatrar as aventuras do garoto. O que era apenas um esquete no programa Chespirito, onde Bolaños interpretava vários personagens, virou um programa de meia hora com o nome de "El chavo del ocho".

Assim nasceram outros sucessos de público como: Quico, o menino mimado filho de Dona Florinda, uma viúva com ares de classe A, mesmo vivendo em uma vila cheia de "gentalha"; o Professor Girafales e seus galanteios dirigidos à mãe do Quico; o Seu Barriga e a sua constante cobrança do aluguel pelo pátio da vila e amiga de Chaves, a Chiquinha, conhecida por seus planos para se dar bem.

Outros personagens que não apareciam em todos os episódios também foram sucesso entre as crianças e adolescentes, mas quem alcançou fama quase que ao nível do protagonista da série foi Don Ramón Valdes, ou Seu Madruga como ficou mais famoso. Esse, principalmente no Brasil, virou sucesso com suas frases de efeito do tipo "A vingança nunca é plena, mata alma e a envenena". Conhecido por nunca pagar o aluguel e sempre dar um jeito de escapar do despejo, Seu Madruga nunca negava ajuda ao garoto Chaves, mesmo com as confusões criadas pelo garoto.

Sempre se escondendo em um barril, recebendo os moradores com pancadas "sem querer querendo" e dando verdadeiras aulas de imaginação na escola, Chaves era querido por todos na vila. Sempre disposto a ajudar, mesmo que isso ocasionasse um insucesso do que lhe era pedido, o menino conseguia sempre um jeito de se livrar da confusão, e, algumas vezes, chegava a ser convidado para passeios, como cinemas e até uma viagem a Acapulco, sendo esse, reconhecidamente o melhor episódio da série.

Os últimos episódios foram gravados em 1992, e depois disso os atores da série tomaram rumos diferentes, mas em sua maioria continuaram com o sucesso de seus personagens. Em visita recente ao Brasil, Carlos Villagrán, que interpreta até hoje Quico, se emocionou ao agradecer o reconhecimento da série pelo público brasileiro.

Chaves chegou ao Brasil nos anos 80, e desde então é veiculado pelo SBT, nas manhãs e tardes da emissora. Conhecida pela constante troca de programação, a emissora já retirou algumas vezes o programa de sua grade, mas devido às inúmeras reclamações, o programa sempre volta ao ar, e nesse ano de 2011, o mês de agosto foi o escolhido para a volta dos chamados "episódios perdidos", que foram remixados e redublados pela emissora. Assim o seriado tende a ganhar ainda mais força, se é que isso é possível.

O mais incrível é que essa decisão do SBT atribui-se à audiência. E, mesmo em uma sociedade que se renova com o advento de novas mídias, como a internet, a emissora nunca abandonou a série. E agora, ao completar 40 anos de seu primeiro episódio, o público ganha esse presente, junto com um contato maior com o criador Roberto Bolaños, agora adepto do Twitter. Com seu apelido @ChesperitoRGB interage com o público ao aliar a nova tecnologia com a experiência de quatro décadas de sucesso.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA