banner multi
Capa Memória Cultura A tradição do futebol de mesa
A tradição do futebol de mesa Imprimir
Escrito por Gabriel Guidotti   
Segunda, 05 de Agosto de 2013 - 17:54

capaSe você conhece a história do futebol de botão, provavelmente ouviu de seu pai. A tradição familiar, no passar das décadas, leva jogadores de diferentes cantos de Porto Alegre a se reunir em um estabelecimento próximo à Igreja da Matriz, no Centro da capital. O dono do local, Domênico Varano, um estrangeiro nascido no sul da Itália, mais especificamente da cidade de Morano Calabro, comanda o Bazar Mimo - o templo do futebol de mesa.

Domênico chegou ao Brasil aos oito anos de idade, quando começou a trabalhar no açougue que a família mantinha na capital. Quando Ernesto Varano, seu pai, perdeu as condições de seguir no empreendimento, ele decidiu assumir a responsabilidade. Após anos comandando o negócio decidiu, na década de 80, mudar de segmento, pois considerava o mercado de botões um ramo prolífero em Porto Alegre. “Em todo o lugar, a pessoa procura vender o que mais sai, né?”, diz com uma risada. Assim nasceu o Bazar Mimo, cujo nome, segundo o dono, não se refere a nada específico, mas é um sucesso de reconhecimento e de vendas desde aquela época.

Quando começou a vender botões, Domênico lembra que haviam vários produtores, fornecedores e tabacarias presentes no mercado. Atualmente, entretanto, a Mimo é um das poucas que sobrevive ao tempo. O comerciante lembra que no início havia uma empresa chamada Perrone, que se tornou sua principal fornecedora, mas que encerrou suas atividades. “Hoje há poucas que fazem. No entanto, há muitos produtores no fundo do quintal de casa fazendo botões e vendendo de forma avulsa”.

No Bazar, o futebol analógico de mesa ainda se mantém mesmo com a grande quantidade de jogos digitais que surgiram ao longo dos anos. O botão sofreu com o advento das novas tecnologias, mas não deixou de ser praticado por botonistas apaixonados. A Mimo oferece todo o aparato necessário para a prática do esporte, de modo que os visitantes encontram goleiras, jogadores de diferentes materiais e acessórios diversos. 

cow copia

O comerciante acredita que o principal motivo de seu estabelecimento permanecer por tanto tempo no mercado é a tradição de pai para filho. “Já tive casos de clientes que conheci pequenos que trouxeram, após crescidos, os seus filhos para comprar botão comigo”. Ainda, ele enfatiza que os jogos digitais fecham a garotada em um mundo individual, sendo que muitos visitantes levam seus filhos para comprar botões com o objetivo fortificar as relações familiares. 

Aos longo de mais de 30 anos de atividades, Domênico já vendeu milhares de botões, mas ele não sabe precisar uma média de quantos. Perfaz, contudo, uma ideia semanal: 70 times completos e mais de três mil botões por semana. Ele lembra um caso recente onde os organizadores do “Cow Parade” em Porto Alegre enfeitaram uma de suas vacas com botões. Na ocasião, vendeu mais de seis mil unidades em uma tacada só, o que lhe garantiu um ótimo negócio.

Os botões, entretanto, são diferentes. O comprador pode adquirir seus jogadores por material, detalhes e cores. Atualmente, o Bazar oferece botões em quatro tipos de materiais: acrílico, galalite e poliéster. De criação brasileira, há também o Palaton. Os mais baratos são de acrílico, com preços a partir de R$ 2,00. Depois há os de galalite, cujo material é importado da Europa, custando R$ 5,00 para cima. Os que não tem a paciência de comprar botões avulsos para formar suas equipes, podem optar por adquirir os estojos de times completos, que custam a partir de R$ 29,00 reais.

O Bazar possui um segundo andar com duas mesas onde os botonistas podem organizar suas competições. Domênico cobra um valor mensal de R$ 10,00, organiza as inscrições e, é claro, fornece todo o material necessário para que o jogo possa acontecer. Compradores que tiverem botões sem uso em casa, podem levá-los para tentar uma venda ou uma troca, conforme alguns critérios do dono. 

Assim, este italiano adotado pelo Brasil mantém um dos últimos redutos do futebol de mesa de Porto Alegre e, talvez, do Rio grande do Sul. Gostou das história? Faça uma visita ao Domênico. Prepare-se para ser bem recebido e presenciar uma verdadeira aula sobre o jogo. Ao final, quem sabe, comprar alguns dos milhares de botões na vitrine.

mimo

Serviço Bazar Mimo

Rua Cel. Fernando Machado, 568 - Centro - Porto Alegre/RS

Telefone: (51) 3227.4319.

Horário de funcionamento: 09h às 12h e das 14h às 19h30.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA