banner multi
Capa Memória Cultura Noite de sucesso com os Paralamas
Noite de sucesso com os Paralamas Imprimir
Escrito por Daniel Miranda   
Quarta, 14 de Outubro de 2009 - 13:36

paralamas

Quem esteve na sexta feira (09/10), no Teatro do Bourbon Country, pôde conferir e comprovar por que os Paralamas do Sucesso (formado por Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone) receberam o prêmio Vídeo Music Brasil (VMB) de Melhor Show do Ano de 2009. Um grande espetáculo, do início ao fim, foi o que o trio prorporcionou aos portoalegrenses.

O show da Turnê Brasil Afora começou às 21h15min, com a música Sem Mais Adeus, seguido de Dos Margaritas. Com quase 30 anos de estrada, o set list não poupou os clássicos da banda como Bora Bora, Perplexo, Romance Ideal, Ela Disse Adeus e Cuide Bem do Seu Amor. Herbert saudou a galera, dizendo: "Boa Noite, Porto Alegre". A partir deste instante, a banda mostrou as novas músicas de trabalho, que leva o nome da turnê, entre elas estavam Meu Sonho e A Lhe Esperar. A música Meu Erro fechou a primeira parte do show.

A segunda parte contou com um repertório acústico, incluindo as músicas Mormaço e Quanto ao Tempo (do último trabalho); Caleidoscópio e Uns Dias (do início da década de 1990). O show seguiu dançante com outros tantos sucessos. A plateia cantava a cada música apresentada, como nos casos das canções O Beco, O Calibre, Uma Brasileira e Loirinha Bombril.

O trio homenageou as duas bandas das quais é parceiro: Titãs, com Sonífera Ilha; e Los Hermanos, com O Vencedor, essa última, cantada pelo baterista João Barone.

Antes do fim, os músicos ainda tocaram Lanterna dos Afogados, Ska, Óculos e Vital e Sua Moto. Em Óculos, na última frase, Herbert em vez de cantar: "Por trás dessa lente, também bate um coração", cantou: "Em cima dessas rodas, também bate um coração", recebendo aplausos da galera.

No final do espetáculo, os artistas foram ovacionados pelos gaúchos, com o coro de: Uh, Paralamas! Uh, Paralamas!!!

No camarim...

herbert-dudu-dani

Ao fim do show, fui, de imediato, falar com o meu ex-colega e amigo de faculdade Eduardo Purper (conhecido por Dudu). Sim, na verdade, fui ver suas primeiras impressões sobre o show, já que ele vira pela primeira vez. Eu, ao menos, já estava no meu sétimo. Porém, sempre com um olhar diferente do outro. Até por que, nesse local, era a primeira vez que eles se apresentavam, de fato.

Então, ao questionar o Dudu, a respeito do show, ele imendou: "Foi o melhor show que eu já vi". Eu, como um fã e "paralâmico" que sou, confesso também ter ficado com essa mesma impressão do Dudu em 1998, quando os vi pela primeira vez.

Ao sairmos da plateia, nós nos dirigimos ao local que dava acesso aos camarins pra conversarmos com os artistas. Esperamos, um pouco. Quem sabe, mais de meia hora? Mas não tinha problema para nenhum de nós, queríamos falar com o trio.

Passado esse tempo, o segurança nos encaminhou até eles. Eu, pela segunda vez, em um show de Rock com o Dudu (pois em 2005, fomos ao Nenhum de Nós e falamos com caras da banda), fazia com que ele conhecesse os músicos, algo que me deixa até hoje lisonjeado demais, por vezes, até sem jeito...

Ter presenciado o encontro de Herbert Vianna e Eduarpo Purper, não tem preço, não tem mesmo galera... Só tenho que tirar o chapéu para esses dois caras bacanas que eu conheço e de quem sou muito fã. E, que, apesar de suas dificuldades, ainda sabem rir e curtir muito bem o bom da vida, que é bem como, certa vez, Herbert escreveu em uma de suas canções - Soldado da Paz:

"Não há perigo que vá nos parar

Se o bom de viver é estar vivo

Ter amor, ter abrigo

Ter sonhos, ter motivos pra cantar..."

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA