banner multi
Capa Memória Cultura De mãos dadas com a Nova Literatura
De mãos dadas com a Nova Literatura Imprimir
Escrito por Tássia Jaeger   
Segunda, 30 de Novembro de 2009 - 02:56

jana

Juntos há dois anos e oito meses, Jana Lauxen e Afobório, além do amor que sentem um pelo outro, têm mais um amor em comum: o amor pela literatura. Ambos fazem parte da nova geração de escritores gaúchos oriunda da Internet. Confira uma entrevista com os autores feita especialmente para leitores, escritores e aspirantes à carreira literária.

Que é quem?

Jana é autora do livro ‘Uma Carta por Benjamin’ e é  colunista da revista independente do Café Espacial, de São Paulo, e do Jornal Vaia, de Porto Alegre. Também atua como editora da revista virtual 3:AM Magazine Brasil, uma  versão brasileira do site inglês 3:AM, e é organizadora, ao lado do escritor Frodo Oliveira, da coletânea de contos policiais Assassinos S/A, que já está em seu segundo volume.

Já Afobório, com o pseudônimo de Alexandre Durigon, lança ainda esse ano seu primeiro livro solo pela Multifoco, ‘Livre para ser preso”. Também  pode ser lido no Beco do Crime, no jornal O Caiobá, no 3:AM Magazine Brasil e no Blog Cabeças Cortadas. Ambos além do livro solo, já publicaram em antologias ou coletâneas.

 

Universo IPA - Como surgiu o amor pelos livros?
Jana Lauxen -
Desde que meus pais liam historinhas para mim. Depois, quando conheci os gibis e as HQ’s, passando pela fase escolar em que fui apresentada para a Coleção Vaga-Lume.
Afobório - Eu sempre fui um menino estranho. Digamos que ser pop nunca foi meu forte. O jeito foi alimentar meu cérebro. Outro fato relevante foi minha saúde. Aos oito anos, fui abatido por uma violenta crise reumática e passei um bom tempo sem andar. Então meus pais compravam “quilos” de fitas K7 com estórias, discos e um monte de livros. Aí começou tudo.

Universo IPA - Qual o estilo literário que mais desperta interesse?
Jana Lauxen -
Gosto ‘pra caramba’ de romances (especialmente os sem romance), e de contos.  Mas não dispenso nada, desde que seja capaz de me aprisionar.
Afobório - Aqueles que são bem escritos. Mas gosto bastante de literatura policial, suspense e terror.

Universo IPA - Como foi a descoberta da  aptidão para a escrita?
Jana Lauxen -
Quando vi que era a única coisa que eu sabia fazer mais ou menos bem. Aos 16 anos, eu acho.
Afobório - Eu sempre gostei de ler, mas quando li Um conto de Natal, do Charles Dickens, percebi que criar e contar uma boa história  é a maior coisa que um homem pode fazer.

Universo IPA - Quando surgiu o(a) escritor(a) Jana Lauxen/Afobório?
Jana Lauxen -
Quando participei da minha primeira coletânea (Vide-Verso, poesia, Ed. Andross) junto com outros autores, no início de 2008. Mas a verdade é que quem define quem é ou não escritor, é o público leitor. Na minha opinião, quem possui um blog bastante lido, por exemplo, pode sim se considerar escritor.
Afobório -
Em 2008, quando fui classificado para uma antologia de contos chamada Réquiem para o Natal. Foi minha primeira publicação. A partir daí ganhei confiança e a coisa começou a andar com mais maturidade e profissionalismo.

Universo IPA - Como é a arte de escrever?
Jana Lauxen -
Não gosto do estilo querido-diário que existe e vende aos montes. Logo, não busco imprimir minha vida pessoal nas histórias que escrevo. Penso que o escritor precisa ter o poder da invenção. Este é, para mim, o grande mérito do escritor: escrever sobre o que não viveu e, enquanto escreve, sentir como se tivesse vivido.
Afobório - Escrevo coisas que vejo e encontro nas pessoas. Acredito que as minhas estórias têm um bom fundo de verdade. O mundo é feio, mas a maioria das pessoas reluta contra isso e o pintam de bonito para disfarçar as coisas que incomodam e envergonham a sociedade. É por isso que exploro o lado negativo do ser humano. Acredito que precisamos assumir nossos erros primeiro para que possamos acertar depois.

Universo IPA - Como é encarada a crítica aos escritores blogueiros?
Jana Lauxen -
Acredito que a Internet incomoda porque é democrática e assim permite que todas as pessoas encontrem espaço para dar vazão a sua voz. Tem muito lixo publicado na Internet. Mas também tem muito lixo publicado em livros, jornais, revistas e outdoors. E até mesmo a definição do que é bom ou ruim varia de pessoa para pessoa. Além do mais, prefiro que todos tenham espaço.
Afobório - Escritor é quem escreve, não é uma questão de veículo e sim de qualidade. A WWW é uma forma de promulgar cultura, mas as pessoas são estranhas, reclamam para comprar e reclamam para consumir de graça. Acho que o importante é saber filtrar.

Universo IPA - Qual o conselho pra quem quer tentar a carreira literária?
Jana Lauxen -
Primeiro: leia muito, escreva muito e não caia na cilada de pensar que você é genial. Depois crie um blog e apresente seus escritos para outras pessoas lerem. Não aceite desaforos, mas aceite, agradecido, críticas produtivas. Participar de coletâneas junto com outros autores também é super bacana.
Afobório - A WWW é um canal que te coloca dentro de uma editora rapidinho, é só saber usá-lo. Acho que o primeiro passo para quem quer escrever é fazer um blog. Através dele você vai conhecer um monte de gente e, com o passar do tempo, você vai aperfeiçoar o que escreve. Outra dica: perca a vergonha, mande o link do seu blog para todos os lugares possíveis. E participe de todos os concursos literários que puder. No mais, é só manter a humildade e o afinco que as coisas virão sempre no tempo certo.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA