banner multi
Capa Memória Cultura MARGS homenageia Pedro Weingärtner
MARGS homenageia Pedro Weingärtner Imprimir
Escrito por Manuela Rysdik   
Quarta, 14 de Abril de 2010 - 15:32

margsO Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) apresenta, até 13 de junho, a exposição Pedro Weingärtner -1853 a 1929. A primeira grande retrospectiva do  pintor gaúcho, 'Um artista entre o Velho e o Novo Mundo', chega a Porto Alegre com 120 obras oriundas de acervos de museus brasileiros e colecionadoresres, depois de passar pela Pinacoteca do Estado de São Paulo. Esta é uma oportunidade imperdível para apreciar a arte de um dos maiores pintores do século 19.

A curadora da exposição Ruth Sprung Tarasantchi realizou uma grande pesquisa sobre o pintor gaúcho. Ela percorreu e documentou e os lugares que Pedro Weingärtner esteve e morou. Junto com a exposição foi lançado um catálogo com o resultado dessa pesquisa. Para ela, a mostra é uma grande oportunidade de resgate histórico, já que Weingartner era um pintor realista e usava como inspiração cenas que viu e viveu. E ressalta: "O gaúcho tem que ver a exposição para conhecer mais a sua história".

Além disso, Ruth destaca alguns aspectos da pintura de Weingartner. "As obras dele sempre contam alguma coisa", e aponta para o quadro 'Chegou tarde'. A tela mostra um caixeiro viajante vendendo seus objetos a uma moça, dentro de um estabelecimento, quando chega outro caixeiro e leva um susto ao vê-lo, assim o nome da obra se justifica. Ela explica também que alguns elementos se repetem em várias telas.

A exposição está dividida em três grupos e ocupa as Pinacotecas do Museu. As obras produzidas durante o período em que o pintor viveu na Europa retratam a juventude romana e cenas campestres européias. O cenário gaúcho mostra o homem em contato com a terra, com os animais e no comércio. As cenas de festas e bailes mostram as confraternizações realizadas, principalmente, entre os imigrantes alemães.

O diretor Cézar Prestes está entusiasmado com a possibilidade de proporcionar o acesso do público às obras dos notáveis artistas plásticos do Sul e um dos mais importantes do Brasil em seu tempo. "Cerca de 60% da mostra é composta de obras inéditas para o público gaúcho".

As telas vieram de vários lugares do país. Pertencem a colecionadores particulares e a acervos de instituições, entre elas a Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Museu Nacional de Belas Artes/RJ, Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pinacoteca APLUB de Arte Rio-grandense.

Da capital dos gaúchos,a mostra segue para o Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.

 

Um artista entre o Velho e o Novo Mundo

Pintor gaúcho nascido em Porto Alegre, em 1853, Pedro Weingärtner era descendente de imigrantes alemães e passou grande parte da sua vida entre o Velho e o Novo Mundo, realizando uma obra admirável. Morou na Alemanha, nas cidades de Berlim, Munique e Hamburgo e, depois, se mudou para Paris, onde foi aluno de importantes mestres acadêmicos da época.

Na Itália, viveu em Roma durante muito tempo e foi lá que produziu grande parte da sua obra. Estudou como bolsista do governo brasileiro, concluiu os estudos e consolidou sua formação clássico-romântica, claramente expressa em sua pintura.

Weingärtner é considerado um dos pintores mais representativos do Rio Grande do Sul, no final do século 19. Alguns de seus quadros possuem grande valor documental, porque representam paisagens e costumes regionais.

As telas contam uma história

Segundo Ruth cada vez que se olha para a tela de Weingärtner, pode-se encontrar uma novidade. Ela sugere ainda, olhar os quadros com uma lupa, já que o pintor era extremamente detalhista. "Podemos entrar na tela e mergulhar na história que está sendo contada, na memória que está sendo guardada".

As cenas gaúchas são todas quase do campo. Weingartner gostava de pintar costumes típicos, como a lida do campo, bailes do interior e os gaúchos chimarreando. O quadro Kerb mostra uma tradicional festa de colonizadores alemães. Uma grande quantidade de pessoas aparece nessa pintura, entre eles um grupo de imigrantes bem vestidos, uma jovem senhora com vestido estampado, chapéu, leque e luvas delicadamente pousadas no seu colo. O homem que está sentado atrás dela, provavelmente seu marido, usa botas com esporas. As crianças sentadas no chão podem ser seus filhos, usam vestidos rodados de alegre estampa e finos sapatos. Do lado de fora da casa, olhando pela janela, estão duas crianças espiando a babá. A festa está decorada com guirlandas de flores.

MARGS
Pedro Weingärtner – 1853-1929 – Um artista entre o Velho e o Novo Mundo
De 13 de abril a 13 de junho
Pinacotecas do Museu - Praça da Alfândega, s/n° - Centro
Entrada Franca

 

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA