banner multi
Capa Memória Cultura Moda #3 DFI 2012 - terceiro dia (30/03)
#3 DFI 2012 - terceiro dia (30/03) Imprimir
Escrito por Pumaira Coronel e Andréia Pires. Fotos de Victória Duarte e Rodrigo Figueiró   
Domingo, 01 de Abril de 2012 - 13:04

Estudante do IPA abre 3ª noite
de desfiles no Donna Fashion

Pumaira Coronel

DSC 0183Matheus Dreher, 22 anos, estudante do 5º semestre do curso de Design de Moda/IPA, abriu os desfiles de sexta-feira, 30 de março, na passarela principal do Donna Fashion. Vencedor do Next Generation de 2011, Matheus teve a oportunidade de apresentar a sua coleção "March To The End", ao lado de grandes nomes da moda.

Com cores fortes e tons escuros, a coleção foi inspirada na trilogia de George Miller, Mad Max, um filme de enredo pós-apocalíptico, que ocorre em um deserto, onde grupos de pessoas lutam por um pouco de petróleo e, assim, aterrorizam toda uma população.

Com uma proposta corajosa e conceitual, a coleção do estudante de Moda do IPA incluiu vestidos curtos , saias, blusas, regatas e também longos. Armas, foguetes, mísseis e bombas, criadas pelo designer gráfico Fernando Jobim, estamparam a coleção. Os tecidos sintéticos, os detalhes em couro e as tachas deram o tom às peças, modeladas nas cores preto, marrom, caramelo, branco e bege.

Os cabelos em desalinho e a maquilagem com desenhos escuros e os tapa-olhos, deram um toque de agressividade, que George Miller confere aos personagens da violenta trilogia Mad Max.

As alunas do IPA, Suelen Andrade e Eliane Coimbra marcaram presença no desfile de Matheus Dreher. "Achei lindo o desfile! Ainda mais nós (colegas) que vimos ele desenhar e produzir a coleção", afirmou Suelen.

 

 

A modernidade da M. Officer

Pumaira Coronel

DSC 0262Animal Print, referências do pop-rock e formas geométricas, caracterizaram as estampas que deram início ao desfile da M. Officer. Considerada a marca mais lembrada do público feminino brasileiro e uma referência de modernidade e inovação, a coleção de outono/inverno da M. Officer foi inspirado por ricos elementos naturais e na vida urbana. Liberdade e possibilidades descrevem os looks das estampas, cores e texturas.

Com tons elétricos e terrosos, a coleção traz vestidos, shapes amplos, rendas com transparências, jaquetas em couro e brilho que se unem ao jeans de corte boot cut e jeggings, revelando a sensualidade feminina. O street wear totalmente jovial caracterizou as peças de Mieli.

Os vestidos justos e curtos modelando o corpo, e com muito brilho para a noite, foram destaques na coleção. O jeans veio á passarela em diversas lavagens, ainda com os velhos rasgos, além de ressuscitar as cores vinho e azul escuro.

No final do desfile, uma surpresa: Carlos Miele entrou na passarela para encerrar o desfile da M. Officer, fato curioso, pois Miele não encerrou o desfile da sua própria marca, que ocorreu na quarta-feira, 28.

 

 

Entremeios resgata o passado

Andréia Pires

denaui

Os modelos criados por Luana Espíndola, estudante de moda da cidade de Torres, foram uma das atrações no Projeto Entremeios, na terceira noite da semana de moda.

As peças, inspiradas em moldes que fizeram sucesso no passado, apresentaram cores alegres e juvenis. A coleção da estilista recuperou a história construída em busca da liberdade, por jovens, na década de 60, no inicio do movimento tropicalista. E, por isso, a música Alegria, Alegria de Caetano Velloso, caracterizou de forma perfeita a retomada da moda irreverente. 

 

 

Mandi e a moda que brota da terra seca

Andréia Pires

DSC 1371Seguindo a linha da campanha "Entenda a moda, entenda o mundo", onde é link de necessidade, distinção, mudança e comportamento, Mandi trouxe à passarela as paisagens áridas do velho oeste e misturou: couro, jeans e lã.

O início do desfile foi marcado pelo som melodioso de assovios, gaita de boca, interrompidos por passos no solo seco. Do cenário country, entre montanhas argilosas e galhos sem vida, nasce a moda outono/inverno da grife, deixando sua marca na história, através dos tons e looks inspirados nestas paisagens. A primeira a desfilar foi a modelo Guisela Rhein que veio num mini-vestido com estamparia geométrica em preto e branco sobre o amarelo ouro.

As formas geométricas na estampa e nos recortes foram destaques nas primeiras peças. Os modelos masculinos calçavam botas rústicas que conversavam com as tonalidades de Cinza, presentes nas camisas e mantas. Toucas de lã com listras também prometem aquecer as cabeças dos meninos nesta estação. Os tênis com cordões sujos deram a idéia de pés que acabaram de sair daquela paisagem desértica.

As cores laranja e branco podiam ser vistas entre os tons pastéis em roupas confeccionadas em jeans e tecidos mais firmes. Os acessórios com as saias longas e transparências conferiam leveza às roupas e nos remetiam ao vento que sopra em lugares onde não há natureza viva.

Coletes longos, cintos, peças em couro, casacos com costuras externas e reforço nos cotovelos junto com os botões também são apostas da Mandi. O short dourado encoberto por uma túnica, a caveira no bolso traseiro do short jeans, a transparência feminina, a volta das estampas e os recortes geométricos em vestidos, mostraram uma moda mais civilizada. Os sobretudos em lã e as saias, no preto básico e sempre atual, e o brilho no detalhe quadriculado, peça chave para a noite chamaram a tenção.

Ao final do desfile o estilista veio à passarela cumprimentar o publico que aplaudia a sintonia de peças, música e imagens.

 

 

 

TOP no Donna

Andréia Pires

topDe Nova York, onde mora há quatro anos, a Top Gaúcha, Guisela Rhein, posou para a lente do Universo IPA. A modelo, que já trabalhou em campanhas das marcas Dior, Jean Paul Gaultier e H&M, contou que já havia  assistido ao DFI do ano passado, mas que ainda não desfilou nas passarelas do evento.

 

 

 

Moda Retrô no Entremeios

Andréia Pires

DSC 1414O gaúcho Tarsiso Bressan foi um dos nomes que marcou presença e prendeu olhares na passarela do Projeto Entremeios nesta sexta-feira. Ao som de música pop internacional, o estilista apresentou sua obra retrô, porém, descontraída.

Cores neutras e detalhes em outros tons estavam presentes nas peças. Sapatos que já foram moda no passado ganham nova cara com cordões vermelhos que quebram a neutralidade do look. Modelos com galhos de arruda na orelha retratavam de maneira discreta a busca do estudante por um espaço no mundo da moda.

Sobre a escolha por modelos ruivos, Tarciso, optou por este biótipo que foge do comum no dia a dia. Os blusões de lã apresentados na passarela foram tricotados a mão, em Santa Maria, e resgatam a moda esquecida pelos anos. O tricô volta com força total nas peças artesanais.

 

 

 

COLCCI e a pontualidade da moda

Andréia Pires

DSC 0823A moda é a história que se confunde entre passado, presente e futuro. Seguindo esta linha, a COLCCI, iniciou seu desfile, o mais aguardado da noite, e simbolizou em um relógio a pontualidade e a beleza dos conceitos que vem de gerações.

Modelos com luvas peludas mostravam que o calor está em nossas mãos, enquanto apresentavam peças confeccionadas em couro, lã e jeans. Toucas em estilo esquimó, mantas, formas geométricas em estampas e tons marrons, compunham os looks neutros, quebrados por sapatos em cores vivas.

O vermelho apareceu num segundo momento em vestidos, saias, casacos e blusas. Nas peças masculinas, o amarelo marcou presença, combinado ao jeans e camisetas escuras.

Bermudas, coletes masculinos e vestidos sociais também garantiram o seu lugar na coleção da marca, que incluiu sapatos, cujas de cores e estilos quebraram a seriedade das peças.

 

 

 

Participação especial

Andréia Pires

DSC 0891Um dos pontos altos do desfile  da Colcci foi a presença do ator português Paulo Rocha, o Guaracy de Fina Estampa. Para delírio da plateia feminina, ele esbanjou charme e simpatia.

Saia justa

DSC 0920Ser modelo não requer apenas rosto bonito e corpo perfeito. Exige desenvoltura, equilíbrio e adaptação às novas situações, principalmente as embaraçadoras. A prova disto aconteceu durante o desfile da grife, onde uma das profissionais perdeu o sapato, mas não perdeu o estilo. Com um pé descalço e outro machucado ela cumpriu seu trajeto, mantendo a aparência serena de quem sabe que obstáculos existem e aparecem para serem superados. 

 

 

BOBSTORE fecha com chave de
ouro a terceira noite do DFI

Andréia Pires

DSC 0097 (2)Moda, desejo, pensamento, critica... Mais uma vez a temática do evento, em sua edição outono/inverno, se fez presente na passarela. Inspirada no deserto e em suas paisagens longínquas e secas, a coleção tem como pano de fundo, casas antigas, típicas de filmes do velho oeste.

Leve, o vestido verde, com cordão marcando a cintura, foi à primeira peça a ser vista pela plateia. Ombros a mostra são opostas fortes da grife para esta estação. Azul, bege, xadrez, listras, camisas jeans, calças de couro, calça desfiada, saias plicadas lisas, saias estampas geométricas ou abstratas, blazer furta cor, vestidos e acessórios delineando a cintura, fizeram parte da composição dos modelos apresentados pela grife.

A transparência do branco e o brilho do preto romperam a neutralidade das demais peças. Em tecidos que traziam mais seriedade e sofisticação ao look, a quantidade empregada na criação da roupa, variava de acordo com o publico para o qual ele se destina. Ficando claro a quem se destinava e a qual ocasiões são propícios.

Combinações mostraram versatilidade. Algumas jovens e profissionais, enquanto outras, discretas serviam para o dia a dia. E quando agregadas a uma bolsa com brilho, transformam-se em uma bela opção para a noite. Harmonizando conceitos e formas e aliando bom gosto e praticidade.

 

 

 

De Lisboa para o Sul

Andréia Pires

IMG 5945Como já é tradição no DFI, após os desfiles as celebridades têm encontro marcado com a imprensa no aquário do evento. Com Paulo Rocha não podia ser diferente! Em conversa com os repórteres o ator falou sobre carreira, permanência do Brasil e relacionamento.

Aos 34 anos, já soma 12 novelas e cinco anos de teatro, antes de iniciar a carreira na TV. Sobre sua estada no Brasil, o ator diz ser uma época feliz: "Foi uma ótima experiência, e quando algo é bom sempre há vontade de tornar a experimentar," diz sobre a possibilidade de novos trabalhos.

Quanto questionado sobre a diferença das telenovelas nos dois países, Paulo diz que no Brasil a resposta do publico é mais rápida. Ainda mais por se tratar do horário nobre da televisão, que tem tanta força, o que garante sucesso imediato.

Com relação à continuação do seu contrato com a emissora, o galã desconversou, dizendo que se sentiu muito bem na Rede Globo, até por ser a primeira "casa" que conheceu no país. 

De malas prontas, o português, retorna a Lisboa, onde reside, no próximo dia 12. Lá pretende terminar algumas pendências além de estudar propostas de trabalho em novelas.

Solteiro, ele não entra muito em sua intimidade, mas revela em tom descontraído: "Meus pais não acham graça nenhuma de eu estar casado!"

 

 

Celebridade do Futebol no Donna

Andréia Pires

renanO viamonense Renan Soares, goleiro do Sport Club Internacional, também estava entre as personalidades que conferiam as novidades do mundo fashion na passarela principal do evento.

O jovem que já quebrou o recorde de Taffarel ficando mais de 770 minutos em campo sem levar gol revelou não entender muito de moda, estando no desfile apenas para acompanhar a amada.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA