banner multi
Capa Memória Coberturas Especiais Diploma de Jornalismo Diploma de jornalista. Para quê?
Diploma de jornalista. Para quê? Imprimir
Escrito por Asaph Borba   
Quinta, 18 de Junho de 2009 - 15:28

160409_diploma_2009Na quarta-feira, dia 17 de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o diploma não é mais necessário para exercer a profissão de jornalista.

O que isso quer dizer? Qualquer pessoa que se postule com alguma capacidade, poderá receber credencial para exercer a profissão, pela qual nós alunos do curso de Jornalismo do IPA e demais acadêmicos do Jornalismo pelo país afora estão investindo muito tempo, esforço e dinheiro para adquirir conhecimentos e experiência necessários para o exercício da profissão.

Quero dizer para vocês  que esta decisão segue a agenda de descrédito que os poderes instituídos tentam exercer sobre uma sociedade passiva como a nossa.

Esta posição é única. Nenhuma nação, onde a verdadeira democracia funciona, admitiria uma lei como esta que o senado promulgou. Mas, para dizer a verdade, o que podemos esperar de um "supremo" que convive abertamente com mensalões, habeas corpus e outras formas de agir à margem da lei, inclusive mantendo no Brasil gente como Gibbs, que roubou o "trem pagador" na Inglaterra, e que permaneceu em nossa pátria até o final da vida; um supremo dessincronizado consigo mesmo, e que bate boca em frente de câmeras.

Por isso tudo, e por toda a impunidade, o nosso país goza de um descrédito internacional que foi imortalizado pelo estadista francês De Gaulle, quando afirmou que o Brasil não é um país sério. Infelizmente, tinha razão, pois na terra do samba, do futebol e do carnaval é, também, um território onde se pode atuar como jornalista, sem portar o diploma.

O pior é que essa decisão goza da aprovação dos grandes grupos de comunicação do país que, por razões financeiras, visam apenas levar proveito imediato em relação aos  salários, os quais são defendidos pelos sindicatos que compactuam solenemente com a decisão, que  hoje pode parecer inofensiva mas, que, no futuro, comprometerá a qualidade da comunicação no país. Dessa forma o esperado é que muitos "jornalistas" sem diploma tirem provisoriamente nosso lugar, mas, com certeza, não conseguirão  tirar o nosso talento.

Por isso meus colegas, não se intimidem, pelo contrário, continuem se empenhando, pois só uma formação responsável e incansável desenvolve o talento, que eu sei,  todos têm de sobra. E, por isso, não se deixem abater por essa decisão plenamente condizente com as instituições jurídicas nacionais, as quais,  há muito tempo, tentam diminuir a única voz legítima da sociedade: a imprensa.

O fruto dessa decisão é que, de agora em diante, com jurisprudência pertinente, vários outros segmentos profissionais que "não são nocivos ao bem estar da sociedade", como disse um dos ministros, vão requerer o mesmo direito, e a picaretagem que já é normal por aqui, vai se ampliar em muitas áreas.

Não busquem apenas o diploma, empenhem-se na formação. Enganam-se os que pensam que o diploma é o fim. Ele é apenas o começo! 

Com ou sem Supremo, chegaremos lá!!!
 
Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA