banner multi
Capa Memória Coberturas Especiais Expointer Chimarrão: tão bom quanto tomar, é saber fazer
Chimarrão: tão bom quanto tomar, é saber fazer Imprimir
Escrito por Letícia Caimi   
Quinta, 04 de Setembro de 2014 - 08:58

chimarrao-01Há 10 anos o Instituto Escola do Chimarrão marca presença na Expointer, e este ano não poderia ser diferente. O 'Chimarródromo', organizado no galpão da Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF), no Parque de Exposições Assis Brasil, é um dos espaços mais visitados, conforme apuração da administração do evento. Lá, os visitantes aprendem a preparar a bebida típica dos gaúchos em diversas formas e ainda podem abastecer suas cuias e térmicas à vontade.

O Instituto Escola do Chimarrão, sediado na capital nacional do chimarrão, Venâncio Aires/RS, é uma ONG que visa resgatar a cultura dos 500 anos da descoberta da erva-mate, ao incentivar seu consumo e mostrar os diversos benefícios que são proporcionados à saúde de quem tem o hábito de tomar chimarrão diariamente. A Escola possui dois ônibus que percorrem o Brasil a fim de aproximar outras culturas a uma das tradições gaúchas: "A importância que o chimarrão tem para nós gaúchos, pode ter para o Brasil e o mundo. Eu sempre digo que o Brasil e o mundo não tomam chimarrão, porque o gaúcho não conhece o chimarrão nosso de cada dia. Ele toma por hábito e tradição", declara Pedro José Schwengber, diretor executivo do Instituto.

No Rio Grande do Sul e no mundo, já existem estudos que comprovam a descoberta de 190 princípios ativos na erva-mate. Atualmente, o Instituto de Cardiologia de Porto Alegre realiza experimentos com 210 voluntários, e também a Feevale de Novo Hamburgo, que através de cobaias já obteve em sua pesquisa, resultados significativos na diminuição dos níveis de colesterol, triglicerídeos e perda de peso. Além disso, foi descoberto em uma pesquisa nos Estados Unidos que a erva-mate possui o dobro de flavonóides (anti-oxidantes), em comparação ao vinho por exemplo, e ainda possui a vantagem de não ter nenhuma contra indicação, pois pode ser consumida várias vezes ao dia sem causar embriaguez, ao contrário do vinho.

O projeto Escola do Chimarrão nasceu em 1998, e tem agregado valores através da integração e da socialização que o chimarrão proporciona, consequência de um trabalho que está se popularizando no Brasil e no exterior, já que a ONG cruzou o oceano para divulgar um pouco da cultura gaúcha na Europa. Schwengber conta que a experiência adquirida a cada viagem é muito gratificante e que embora cansativa, é recompensadora. "Quem toma chimarrão, vive mais e vive melhor", finaliza o diretor.

Curiosidades do Chimarrão

chimarrao-02Enganam-se aqueles que acreditam que a erva-mate é oriunda do Rio Grande do Sul. Rico em nutrientes, o chimarrão, é uma tradição antiga e foi descoberto por tribos indígenas do Paraguai. O "tererê", como chamam os paraguaios, é consumido além de quente, gelado também.

Há controvérsias quando se diz que o Rio Grande do Sul tem o maior índice de câncer de garganta e intestino, devido ao gaúcho tomar chimarrão quente: "Esquecem de dizer que está no Rio Grande do Sul o maior consumo de bebida alcoólica e cigarro", salienta Schwengber.

Hoje, a erva-mate é conhecida mundialmente pelos seus benefícios, e tem forte consumo na América do Sul, especialmente na região sul do Brasil: RS, SC e PR.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA