banner multi
Capa Memória Coberturas Especiais Feira do Livro O humor invadiu a Praça da Alfândega
O humor invadiu a Praça da Alfândega Imprimir
Escrito por Bruno Moura   
Quinta, 08 de Novembro de 2012 - 13:56

noticia46364Em sua programação, nesta quarta-feira (07/11), a Feira do Livro de Porto Alegre destacou o humor com diversas atrações, e uma delas foi a palestra do jornalista e humorista Renato Pereira, "Vendendo com Bom Humor", título do seu livro, lançado recentemente.. Reconhecido profissional na área de palestras motivacionais, com aplicações do humor voltado para vendas, o escritor atraiu as atenções de um grande público, na Sala Leste do Santander Cultural.

A palestra ocorreu de forma descontraída, e logo veio acompanhada de muitas risadas vindas do público. Em dado momento, o palestrante definiu o cerne do tema: "O uso da inteligência está ligado ao uso do bom humor, pois, o bom humor questiona algo que você tem que resolver". Ele explicou que o segredo para a venda é trabalhar a partir da inteligência de cada individuo, independente do seu intelecto ser ou não superior ao do cliente. Agindo com bom humor, é possível conquistar a clientela através da empatia.

Ao longo da apresentação, Renato explicitou que quem tem bom humor vive mais e melhor, além de possuir uma sexualidade plena. O palestrante trouxe à tona uma reflexão sobre o lado do mau humor. Uma das fontes dela, citada na conversa, seria o amor não correspondido. O humorista diz que isso se aplica aos que amam em demasia e não tem o sentimento correspondido na mesma intensidade. A melhor forma é preencher o vazio com algum outro pensamento, seja um novo homem, no caso de uma mulher, ou vice-e-versa.

Voltando-se para o foco do seu debate, o comércio, o palestrante explicou que é imprescindível o uso do bom humor para uma obtenção maior e rentável de lucro. Ele citou como exemplo as vendedoras de lingerie, que às vezes tratam com desdém os clientes homens que vão comprar o produto visando presentear alguma pessoa do sexo oposto. Instigar o comprador através de uma boa conversa descompromissada e humorada é essencial para cativá-lo. Outro aspecto abordado foi referente à divulgação do preço, que para ele é algo extremamente negativo. Cativar o cliente, ressaltando os pontos positivos de um produto, faz com que o preço seja algo deixado em segundo plano. O cliente encontrará um meio de conseguir pagar, pois o vendedor mostrou que o produto vale realmente a pena. E tudo graças ao bom humor.

Em dado momento, o palestrante lembrou uma situação em que um desembargador foi até uma loja comprar uma televisão. Ele se encaminhou até o setor de crediário e mostrou sua identificação de funcionário do poder judiciário para a atendente que alegou não ser válido o documento, jogando-o de volta em cima da mesa. "Mais tarde ele retornou com um oficial de justiça e dois policiais militares e deu voz de prisão ao gerente da loja por desacato ao judiciário". Renato explicou que tudo se deu porque alguém não avaliou o conteúdo de bom humor da atendente, que não estava preparada para atender ao público.

A palestra seguiu com boa dose de humor do inicio ao fim, durante uma hora. Ao final, o humorista reservou espaço para uma piada, digna de aplausos de todos que estiveram presentes no local. Ficou o reforço de que bom humor é o diferencial para a melhoria de vida de qualquer pessoa, independente de quem seja.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA