banner multi
Capa Memória Coberturas Especiais Feira do Livro Debate sobre livro digital movimenta a Feira do livro
Debate sobre livro digital movimenta a Feira do livro Imprimir
Escrito por Gisele Perna   
Quinta, 11 de Novembro de 2010 - 10:34

livro-digitalNa tarde desta segunda-feira dia 08, na sala dos Jacarandás do Memorial do Rio Grande do Sul, aconteceram três debates sobre 'A era do livro digital e suas possibilidades na sociedade'. O evento contou com uma breve apresentação de saxofone, com o musico Álvaro Godolfim, seguida da participação do coordenador do Congresso Brasileiro de Livro Digital, Mauro Reginaldo que expôs os objetivos do evento, que ocorrerá em Gramado, em 2011.

Longe de uma critica ao livro digital, as três mesas de debates falaram sobre o livro digital como uma possibilidade de inclusão para leitura e de expansão do mercado industrial para as editoras. Em pauta, também, uma análise sobre os aspectos comportamentais dos leitores.

"O livro digital não tem a intenção de competir com o livro impresso, uma vez que esse é, sem dúvida, um objeto de grande admiração para quem ama a leitura". Ressaltou o presidente da Câmara do Livro, João Manoel Maldaner Carneiro. Os livros digitais pretendem ser uma nova possibilidade, e para isso, as editoras buscam adequar suas plataformas de atuação para contentar os dois tipos de leitores.

O debate iniciou com duas provocações: O livro digital possibilita a descentralização da prática da leitura? Ele é uma forma de sociabilizar o conhecimento para as pessoas? No ano em que o site de compras Amazon, divulgou que vendeu mais livros digitais para a Kindler do que os de capa dura, este debate é pertinente para a sociedade.

A primeira mesa apresentada tratou sobre as reflexões e criticas a respeito do livro digital e das possibilidades mercadológicas que o livro digital oferece aos editores, além de um breve esclarecimento aos autores sobre os mecanismos de publicação dos livros digitais. Na mesa, Cássio Pantaleoni, editor da 8 Inverso, filosofo e escritor.

SegundoCássio, o mercado literário comporta a existência destes dois tipos de leitura: Digital e impresso: "Não se trata de competir com o livro impresso, se não, não teríamos uma gráfica nos apoiando". Explica Cássio fazendo uma breve brincadeira. "A questão é adentrar nas novas possibilidades que as tecnologias nos possibilitam".

Após um intervalo, iniciou a segunda mesa de debates sobre o tema: O futuro e o livro digital. Presidida pelos escritores, Paulo Tedesco, Marcelo Spalding, Rafael Trombeta e pelo jornalista Luis Álvaro Aguiar. As políticas associadas à difusão do livro digital e o seu futuro foram pautas em discussão.

Segundo Paulo Tedesco, a prática da leitura consiste em decifrar universos inimagináveis. Quando houve a democratização desse hábito, após a idade média, com o conhecimento saindo dos mosteiros e tomando uma dimensão social, as pessoas tiveram de se adaptar com esse movimento literário que marcou o inicio da modernidade. "Com o advento da tecnologia, que atinge todos os nichos sociais, o livro, bem como a literatura, devem se adequar e produzir novas formas de praticas de leitura". E ainda completa: "O livro digital, sem duvida, parte para uma democratização da prática de leitura, uma vez que os custos e os suportes de leitura são virtuais e alugar por algum tempo uma obra".

A terceira mesa debateu sobre mercado e o livro digital. Presidida por Bruno Valente e Renata Frade, da Punch Comunicações, discutiu a funcionalidade do livro digital e como ele atuará dentro de instituições de ensino, incluindo a necessidade de integração das bibliotecas virtuais e os e-books no ensino à distancia. Ambos salientaram a importância de sua acessibilidade. "O livro digital, além de aproximar os não leitores para a leitura, possibilita o acesso à obras que muitas pessoas não teriam", comentou Bruno. Renata Frade, conclui: "Para o ensino à distância, é exatamente isso, a facilidade de acesso que se tem às obras e a praticidade dos profissionais da para encontrar tais obras, uma vez que implantado as bibliotecas virtuais como fonte de ensino".

O evento encerrou com um coquetel oferecido pela Vinícola Aurora de Bento Gonçalves incluindo degustação de vinhos e chocolates.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA