banner multi
Capa Memória Coberturas Especiais Fronteiras do Pensamento Brian Greene no Fronteiras do Pensamento Porto Alegre
Brian Greene no Fronteiras do Pensamento Porto Alegre Imprimir
Escrito por Filipe Chagas   
Sábado, 20 de Setembro de 2014 - 01:29

fronteiras do_pensamento_fotos_luiz_munhozO físico norte-americano Brian Greene – pela primeira vez no Brasil – palestrou na noite da última segunda-feira (15/09), no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. O tema de sua palestra foi a teoria ou hipótese das Supercordas e a possível existência de vários universos simultâneos.

Um dos maiores especialistas mundiais em cosmologia, o professor da Universidade de Columbia (EUA) buscou mostrar suas teorias a partir de vídeos e simulações de imagens. Sabendo da dificuldade de apresentar suas concepções, Brian iniciou a aula apresentando teorias convencionais da física, após as propostas contemporâneas que permeiam seus estudos. Para ele, tudo começou com Einstein, que se questionava sobre o mecanismo da gravidade. "Dúvida que Newton não respondeu", afirmou o palestrante. Ao formular a Teoria da Relatividade Geral, Einstein deu um grande passo para explicar, tornar compreensivo e descrever o que se vê no universo físico:

"Toda essa maravilha que vemos ao olhar para as estrelas", porém, segundo Greene, ele não responde questões importantes e vitais. Desta forma, frisa que é necessário uma teoria unificada para explicar melhor detalhes até então obscuros. Mas o físico alertou o público presente: "Trata-se de uma teoria especulativa, mas, mesmo assim, extremamente empolgante".

Buscar a compreensão por momentos históricos que ficaram sem respostas é uma das premissas da teoria que Brian Greene apresentou: "O universo começou como algo pequeno, que se expandiu e se esfriou. Formaram-se estruturas, estrelas e galáxias", explicou Brian. Porém, de acordo com o físico, através de observações e a matemática, foi possível saber o que ocorreu no início, mas não tem como esboçar o tempo zero. "A arquitetura matemática de uma teoria é tão potente que praticamente irradia seu sentido e verdade. Mas só os experimentos e a observação podem comprovar se estamos na direção correta", completa Greene.

Assim, o cientista crê que a possível resposta às dúvidas que permeiam nossa história esteja na teoria – ou hipótese - da Supercordas, uma teoria especulativa, que trata de um conjunto de idéias matemáticas sobre o universo, contudo sem provas para comprovação. Sendo assim, Greene, a partir da Teoria das Cordas, busca chegar a uma equação que defina toda a existência, o que ele apresenta como teoria unificada. "As cordas são tão minúsculas que não temos a capacidade de detectá-las. Por isso que a teoria é uma especulação, porque em tese ela consegue unificar mecânica quântica e teoria da relatividade. Por isso que as pessoas estão tão empolgadas", afirmou.

Brian Greene entende a necessidade da evolução da ciência e acredita ser essencial o conhecimento sobre o funcionamento do universo. Portanto, crê que a força gravitacional é importante no entendimento e futuro da teoria unificada, pois através das equações é possível ver o que ocorre nos cosmos. Além disso, o físico devaneia com a possibilidade de encontrar provas de um ou mais universos. Para ele, isso seria uma grande conquista para a humanidade.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA