Brian Greene no Fronteiras do Pensamento Porto Alegre Imprimir
Escrito por Filipe Chagas   
Sábado, 20 de Setembro de 2014 - 01:29

fronteiras do_pensamento_fotos_luiz_munhozO físico norte-americano Brian Greene – pela primeira vez no Brasil – palestrou na noite da última segunda-feira (15/09), no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. O tema de sua palestra foi a teoria ou hipótese das Supercordas e a possível existência de vários universos simultâneos.

Um dos maiores especialistas mundiais em cosmologia, o professor da Universidade de Columbia (EUA) buscou mostrar suas teorias a partir de vídeos e simulações de imagens. Sabendo da dificuldade de apresentar suas concepções, Brian iniciou a aula apresentando teorias convencionais da física, após as propostas contemporâneas que permeiam seus estudos. Para ele, tudo começou com Einstein, que se questionava sobre o mecanismo da gravidade. "Dúvida que Newton não respondeu", afirmou o palestrante. Ao formular a Teoria da Relatividade Geral, Einstein deu um grande passo para explicar, tornar compreensivo e descrever o que se vê no universo físico:

"Toda essa maravilha que vemos ao olhar para as estrelas", porém, segundo Greene, ele não responde questões importantes e vitais. Desta forma, frisa que é necessário uma teoria unificada para explicar melhor detalhes até então obscuros. Mas o físico alertou o público presente: "Trata-se de uma teoria especulativa, mas, mesmo assim, extremamente empolgante".

Buscar a compreensão por momentos históricos que ficaram sem respostas é uma das premissas da teoria que Brian Greene apresentou: "O universo começou como algo pequeno, que se expandiu e se esfriou. Formaram-se estruturas, estrelas e galáxias", explicou Brian. Porém, de acordo com o físico, através de observações e a matemática, foi possível saber o que ocorreu no início, mas não tem como esboçar o tempo zero. "A arquitetura matemática de uma teoria é tão potente que praticamente irradia seu sentido e verdade. Mas só os experimentos e a observação podem comprovar se estamos na direção correta", completa Greene.

Assim, o cientista crê que a possível resposta às dúvidas que permeiam nossa história esteja na teoria – ou hipótese - da Supercordas, uma teoria especulativa, que trata de um conjunto de idéias matemáticas sobre o universo, contudo sem provas para comprovação. Sendo assim, Greene, a partir da Teoria das Cordas, busca chegar a uma equação que defina toda a existência, o que ele apresenta como teoria unificada. "As cordas são tão minúsculas que não temos a capacidade de detectá-las. Por isso que a teoria é uma especulação, porque em tese ela consegue unificar mecânica quântica e teoria da relatividade. Por isso que as pessoas estão tão empolgadas", afirmou.

Brian Greene entende a necessidade da evolução da ciência e acredita ser essencial o conhecimento sobre o funcionamento do universo. Portanto, crê que a força gravitacional é importante no entendimento e futuro da teoria unificada, pois através das equações é possível ver o que ocorre nos cosmos. Além disso, o físico devaneia com a possibilidade de encontrar provas de um ou mais universos. Para ele, isso seria uma grande conquista para a humanidade.

 


Notícias relacionadas