banner multi
Capa Memória Esportes A última vez do 'Fenômeno'
A última vez do 'Fenômeno' Imprimir
Escrito por Nicolas Andrade   
Quarta, 08 de Junho de 2011 - 16:41

ronaldo-fenomenoPassados 30 minutos do primeiro tempo, o Estádio do Pacaembu se encheu com uma mistura de gritos, flashes e lágrimas. Foi a última vez que Ronaldo Nazário de Lima entrou em campo para vestir a camisa da Seleção Brasileira. Alguns toques na bola, uma arrancada e três chutes, assim terminava o primeiro tempo e com ele o último jogo de Ronaldo com sua "segunda pele".

Quando passou para o grupo de profissionais do Cruzeiro, com 16 anos, o garoto carioca franzino já mostrava todo o seu talento. Talento esse que um ano depois levou Ronaldo á Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos. Mesmo sem participação no torneio, o garoto já colocava na sua lista de títulos o maior de todos eles. A partir daí começou a ser convocado regularmente, chegando à Copa de 98, na França, como grande esperança do país. Após grandes jogos, históricos gols e uma final inacreditável, onde a França atropelou o Brasil, o já conhecido "fenômeno" ficou marcado como um dos culpados pelo desastre.

Após a lesão mais grave de sua carreira, quando jogava na Itália, muitos questionaram se era o fim da carreira do camisa 9 da seleção. Mas, como todo ídolo, Ronaldo deu a volta por cima e levou o Brasil ao pentacampeonato. Melhor jogador do mundo no ano de 2002, o fenômeno jogou muito naquela que até hoje considerada "A Copa de Ronaldo".

Eleito pela FIFA, o melhor do mundo por três vezes (1996, 1997, 2002), brilhou com a camisa do PSV da Holanda, no Barcelona da Espanha, no Inter de Milão, no Real Madrid, de volta à Espanha, e no Milan, em seu retorno á Itália, antes de encerrar a carreira no Corinthians.

O grande feito daquele que, para muitos, é o melhor jogador dos últimos 20 anos, foi ter marcado 15 gols em Copas do Mundo, recorde que não foi superado por nenhum outro jogador em todas as edições do torneio.

Com 35 anos, 97 convocações para seleção, 62 gols nestas partidas, dois títulos mundiais e uma geração que reverencia o fenômeno como um dos melhores jogadores de todos os tempos, Ronaldo encerrou nessa quarta-feira, 7 de junho, sua história pela Seleção Brasileira com algumas palavras que definem bem o sentimento desse gênio do futebol. "Tenho orgulho de ser brasileiro, de fazer parte dessa gente".

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA