banner multi
Capa Memória Geral Exército Brasileiro no Haiti relata sua missão e responde questões dos acadêmicos
Exército Brasileiro no Haiti relata sua missão e responde questões dos acadêmicos Imprimir
Escrito por Lisete Ghiggi / Fotos de Diogo Baigorra   
Quarta, 07 de Novembro de 2012 - 22:04

30Os repórteres Luciano Nagel e Rodrigo Rodenbusch, reponsáveis pelo curso "Mídia em Situação de Crise e Conflito", em conjunto com o curso de Jornalismo do IPA, promoveram uma 'vídeoconferência', seguida de coletiva, com os oficiais do Batalhão Brasileiro no Haiti (Brabatt),  integrantes da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). O evento ocorreu no sábado, dia 5 de novembro, às 11h45.

A iniciativa permitiu aos alunos conhecerem o trabalho do Exército Brasileiro no Haiti, além de colocarem em prática os ensinamentos, em especial, a entrevista coletiva a distância.

A coletiva foi mediada pelo o coordenador da Comunicação Social, tenente-coronel Márcio Tibério, e contou com a participação de um grupo de oficiais representantes do Brabatt  e da Companhia de Engenharia de Força de Paz no Haiti (Braengcoy).

O coordenador da Comunicação Social do Brabatt1 iniciou a transmissão interativa com um breve histórico da atuação do Exército Brasileiro no Haiti,  responsável pela mobilização de 2195 militares nas operações Brabatt 1 e 2.

A presença do Exército Brasileiro no Haiti atende a um apelo da ONU, com o intuito de proporcionar segurança, garantir os direitos humanos, auxiliar na reconstrução do país e oferecer ajuda humanitária à população haitiana.

A Minustah se instalou no Haiti, em junho de 2004, para estabilizar o país, pacificar e desarmar grupos guerrilheiros rebeldes, por ocasião das eleições livres. Mas por decisão da ONU, a missão foi mantida e ampliada para auxiliar na reconstrução do país, após o terremoto, em janeiro de 2010. O primeiro comandante militar da Minustah brasileira foi o general-de-exército, Augusto Heleno Ribeiro Pereira, e atualmente ocupa o posto o general-de-brigada, Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira.

O Exército Brasileiro no Haiti envolve 2195 militares, sendo 845 o número específico do 15º Contingente em ação.

Na sequência da atividade, os alunos foram divididos em três grupos: Alpha, Bravo e Charlie, elegeram seus representantes e estruturaram as questões formuladas aos oficiais, as quais incluiram como será a retirada das tropas e quais as possibilidades de outras ações de paz, após a conclusão da Minustah. Uma das maiores preocupações dos acadêmicos foi com o futuro do Haiti após a retirada dos contingentes militares que atuam na Missão de Paz da ONU.

Fotos de Diogo Baigorra

Mais em: O outro lado da conferência

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA