banner multi
Capa Memória Geral Publistorming: comunicação e viralização fez sucesso no IPA
Publistorming: comunicação e viralização fez sucesso no IPA Imprimir
Escrito por Moisés Machado   
Sábado, 11 de Outubro de 2014 - 11:22

Publistorming~1O centenário Auditório da antiga Biblioteca Central, com uma iluminação especial, recebeu uma plateia jovem, atenta e interativa, na quarta-feira (08/10), para ouvir relatos de cases de sucesso, novidades e dicas profissionais de três palestrantes, no Publistorming, que neste ano trouxe o tema "Comunicação Digital e Viralização".

Na abertura do evento, o coordenador do curso de Publicidade e Propaganda, Mário Flores Neto destacou a importância da internet e do seu crescimento nos últimos anos. "Durante décadas, alcançar milhões de pessoas em pouco tempo era um privilégio da televisão, mas atualmente as mídias sociais abrem a possibilidade para que isso esteja ao alcance da maioria das pessoas".

Do mochilão na Europa à dedicação exclusiva à internet
Ana de Cesaro, sucesso nas redes sociais, a 'Namaria', é uma das blogueiras mais famosas quando o tema é emagrecimento. Ela tem o blog Tá e daí?, um canal no Youtube e mais de 36 mil seguidores no Twitter, 45 mil fãs na Fan Page do Facebook e uma das hashtags personalizadas mais usadas no Twitter e Instagram: #projetoanagostosa

Irreverente e bem humorada, a gaúcha de 26 anos foi a primeira a falar. Ela relatou como foi o início de sua carreira que iniciou de forma um pouco despretensiosa, em um "mochilão" pela Europa, onde teve a ideia de postar vídeos para mostrar à família os locais que visitava. "Era um saco ter que ligar pra família e dizer onde estava.Então, comecei a gravar vídeos e a postar. A galera gostou, e quando voltei ao Brasil, todos diziam para eu continuar. Foi aí que comecei a trabalhar com internet", relara "Namaria".

Ana brincou com os presentes e relatou um pouco da sua rotina diária antes de se dedicar à internet, quando trabalhava em uma agência de publicidade em São Paulo. "Ganhava muito dinheiro, mas não para mim e sim para outras pessoas. Então, pensei: cara, por que eu vou fazer isso para outras pessoas ganharem dinheiro, vou fazer para eu ganhar dinheiro. Eu ia receber uma promoção e me demiti. Fui trabalhar com internet." Ela também relatou as dificuldades encontradas no começo. "Minha mãe queria me matar. Como explicar a ela que eu ia ficar o dia inteiro no facebook? E no começou foi difícil, precisei anunciar algumas coisas que eu não queria, mas hoje eu consigo viver só dos meus vídeos, dos meus textos, já cheguei naquele ponto onde posso dizer não para certas campanhas, não para certas marcas, não para certos políticos (risos)".

Para "viralizar" não há uma receita, destaca Ana, que em seu caso não teve nenhum dos seus vídeos viralizados na internet. Ela explica que sempre procurou fazer o que gosta, sem pensar em fazer sucesso. E entre os seus vídeos com maiores views estão os associados a preconceitos. Também relata que volta e meia sofre muitos "ataques" dos internautas. Em seu #projetoanagostosa, que mostra sua proposta de entrar em forma, Ana conta: " Tive que emagrecer 38kg para ser chamada de gorda (risos)". Na verdade, Ana brinca, mas esse foi o vídeo que há alçou ao 'business cibernético'. "Na internet tu tens que procurar o incomum, aquilo que todos querem ver, mas ninguém quer fazer, no meu caso a gordinha querendo emagrecer", complementa a palestrante.

Internet sem preconceitos e longe de ser um hobby
Fernanda Weber, criou e administra o agregador www.atoananet.com.br, além do blog de humor www.arreganho.com.br e a fanpage Piadas Chuck Norris.. Aluna de Publicidade e Propaganda do IPA, Fernanda fez um breve resumo sobre sua carreira, explicou como trabalha em seu 'agregador de links' e descreveu como são os seus sites e blogs. "Como a Ana falou, têm pessoas que criam assuntos para viralizar, até porque existem meios para isso, mas não é algo simples". Fernanda destacou um certo "preconceito" com pessoas que trabalham com a internet e também a dificuldade de compreenderem esse tipo de trabalho. "Atualmente meu trabalho é só com a internet, algumas pessoas falam: bah.. mas tu trabalhas só com internet? Sim só com internet. Tem o lado bom e o ruim. Muita gente me diz que é só um hobbie, mas não é".

Propaganda sem cara de propaganda
Rafael Bohrer, premiado diretor de criação na empresa Global, com passagem pelas agências Escala e DCS relatou como foi a reformulação da agência Global, projeto para o qual foi contratado. Discorreu sobre a sua carreira profissional e destacou a importância da propaganda nos dias de hoje. "A propaganda não pode mais ter cara de propaganda". E uma das tendências, explicou, é contar histórias (storytalling) e dar notícias. Propagandas não são compartilhadas, mas notícias, assuntos e histórias sim. Também mostrou a eficiência de se empreender pesquisas científicas para comprovar e divulgar com criatividade a eficiência dos produtos. E relatou o caso com o cliente Picadilly, em que através de uma pesquisa científica foi possível comprovar a qualidade do produto.

E quando o tema foi a contratação de pessoas para a agência em que atua, Bohrer destacou: "Eu preciso de pessoas que somem talentos, às vezes contrato mais as pessoas pelo lado B, do que pelo lado A", frisando a importância da aquisição de todo o tipo de conhecimento no profissional da área da publicidade.
Ao falar sobre a importância da internet e redes sociais, o publicitário mencionou os três grandes motivos que levam as pessoas a procurarem o Youtube: tutorias, entretenimento e inspiração. E sobre as redes sociais frisou: "As propagandas não são compartilhadas. O que são compartilhados são os assuntos". Também destacou a necessidade de se gerar tensão nas redes sociais, porque ela cria conversação e compartilhamentos. E concluiu: "Toda ideia que cria tensão significa que ali tem uma energia de ideias".

Perguntas e dicas
Após as apresentações dos componentes da mesa, o painel foi aberto a perguntas do público e mensagens dos palestrantes.

Ana de Césaro destacou a importância de se identificar o público alvo ao gerar conteúdos, os quais devem ter personalidade. A blogueira também deu ênfase ao fator 'engajamento', que considera essencial ao diferenciar pessoas que curtem seus post, dos 120 mil seguidores que sinalizam, opinam, concordam, divergem e pautam seus temas. "O que eu quero mostrar para as pessoas é que quando tu botas uma ideia na cabeça ninguém pode te fazer acreditar que tu não podes. E se tu queres realmente fazer algo é necessário ter muita dedicação".

Questionado sobre o porquê de algumas agências não entregarem conteúdo de qualidade, Bohrer referiu-se à falta de reciclagem por grande parte dos profissionais. "A agências não conseguem por que acabam não se adaptando e os profissionais por que não se reciclam".

Ao selecionar links para o seu agregador, Fernanda destacou a importância de analisar e avaliar os conteúdos, os quais devem estar no seu tempo certo. E o seu 'pente-fino' também envolve a questão do plágio. A curadora de conteúdos também destacou a importância de estudar. "Cada vez mais é preciso estudar, não se pode parar, é preciso estar sempre por dentro".

E para finalizar, o coordenador Mário Neto, destacou palavras-chave do Publistorming: convicção, ser incansável, muito trabalho, conhecimento de público e dedicação. E, após agradecer os palestrantes e alunos presentes, concluiu: " E que isso sirva para nós".

Publi

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA