banner multi
Capa Memória Geral Mais um mestre que se vai
Mais um mestre que se vai Imprimir
Escrito por Anselmo Cunha dos Santos   
Segunda, 28 de Fevereiro de 2011 - 18:23

moacyr-scliarNos despedimos neste domingo, 27 de fevereiro, de um dos maiores escritores gaúchos e orgulho da comunidade porto-alegrense, em especial do bairro Rio Branco, onde Scliar nasceu. Aos 73 anos, morreu um grande amigo e frequentador dos espaços culturais do IPA, em especial, da Biblioteca Guilherme Mylius. Moacyr Scliar é  reconhecido internacionalmente por sua vasta obra literária e ocupava a 31º cadeira na Academia Brasileira de Letras (ABL).

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Scliar começou sua vida literária em 1962 com o livro "Memórias de um Médico em Formação". E desde então não parou mais de escrever. Scliar deixou para os admiradores da boa literatura mais de 70 livros dos mais variados gêneros, como: romances, crônicas, contos infantis, entre outros. Além disso, o médico ainda atuou como colunista dos principais jornais do país, entre eles, Zero Hora e Folha de São Paulo.

Scliar morreu em Porto Alegre, cidade onde nasceu. Estava internado no Hospital de Clínicas desde o início de janeiro para realizar uma cirurgia simples no intestino. Porém. após a recuperação da cirurgia, o escritor sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) o que ocasionou a falência múltipla dos órgãos e o levou a morte.

Quem se mobilizou com a morte do escritor foi a presidente Dilma Rousseff, a qual definiu Scliar como "ícone da literatura gaúcha, brasileira e latino-americana" no site da Presidência da República, onde Dilma publicou uma nota em homenagem ao médico e escritor.

De acordo com a professora de Jornalismo Experimental, Lisete Ghiggi, "Scliar é uma figura querida por todos, mas especialmente pelos ipaenses, que sempre se orgulharam de tê-lo como visitante, palestrante e frequentador da Biblioteca Central Guilherme Mylius, onde mais de uma vez o encontrei pesquisando e lendo, especialmente no período em que permanecia aberta 24 horas". De acordo com a professora, o escritor sempre participava dos eventos significativos do Centro Universitário e também do Colégio Americano, além de aceitar prontamente os convites para palestrar aos alunos. Também se mostrava prestativo e acessível com os acadêmicos Jornalismo. E foi o que ocorreu com as focas, nestes últimos anos: Gidiane Oliveira, Jaqueline Cavalini e Alexandra Giacomizzi, que escolheram Scliar como fonte para a sua primeira produção jornalística, e que pode ser conferida em:

Jornal Mural :: O Bom fim visto por Scliar
Entrevista ::  Moacyr Scliar usa chat para lançar novo livro

O corpo foi enterrado hoje, segunda-feira, 28 de fevereiro, no cemitério do Centro Israelita pouco antes do meio-dia. A solenidade não pode ser acompanhada pelo público, somente por pessoas próximas ao escritor.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA