banner multi
Capa Memória Literário A escolha é sua
A escolha é sua Imprimir
Escrito por * Andréia Pires Lopes   
Quinta, 30 de Junho de 2011 - 15:47

gravidez-adolescenteA caminho do centro cirúrgico ela pensava: "sou jovem demais para morrer esta noite". Grávida do primogênito, Mariana, aos 26 anos, enfrentava uma gestação de risco. Ela tinha muitas tarefas para executar fora do hospital e, por isso, a sua vida não podia acabar ali.

Queria usar jeans novamente, terminar a obra da casa, passar uns dias na praia, abraçar novamente os amigos, estar mais com a família, responder uns e-mails, adotar um animal de estimação, levar roupas para fazer ajuste, deixar um par de sapatos no conserto, amamentar o filho, ensinar a ele as primeiras palavras... Enfim, a agenda estava lotada de afazeres, além daquelas paredes brancas. A idéia de morrer soava-lhe como um absurdo. Era uma noite de novembro, e contam que lá fora chovia, mas ela própria não lembra.

As lembranças que conserva são vagas. Por exemplo, lembra de quando recebeu a notícia de que uma cesárea deveria ser feita às pressas, que o coração de seu bebê batia fora do ritmo e que sua própria vida corria perigo. Não, ela não teria seu filho de parto normal como programara, e o seu medo de agulhas parecia não mais importar. Quem estava com ela viu coragem em seus olhos. Ligou para a mãe, ensaiou umas lagrimas... A irmã e melhor amiga estava a caminho, mas não chegaria a tempo de dar-lhe um beijo antes da cirurgia. A decisão de viver naquele momento era sua, e cabia a ela decidir entre ficar e partir. "A decisão é sempre nossa, naquele momento eu só pensava em viver, ou melhor, eu nem pensava em nada. Simplesmente me entreguei, pois há uma força bem maior que eu", comenta.

Sempre de bom humor, ria dos pés inchados e dos desejos extravagantes que não tinha. Palavras de desânimo numa pronunciava. Trabalhava fora, cuidava da casa e só deixou a faculdade por uma recomendação médica. Aquele era um tempo difícil, e todas as tragédias possíveis estavam acontecendo naquele período. A gravidez que deveria ser uma época tranqüila, foi uma seqüência de más noticias.

Entrou no bloco cirúrgico dizendo palavras de ânimo ao marido. Ele conta que por dentro estava em cacos, mas o sorriso dela naquelas luzes brancas dava-lhe coragem. Minutos depois o menino chorava levando a primeira palmada. A pediatra o levou antes que ela pudesse dar-lhe o primeiro beijo. Mais uma vez ela afirmou a si mesma: "Não posso morrer sem segurar meu filho nos braços". Fechar os olhos naquele momento para Mariana era entregar-se, e por isso permaneceu atenta a tudo. Até o desfecho feliz daquela noite chuvosa, tudo correu bem, apesar de ser às pressas, de ser de risco. Para a mais nova mamãe, a opção de viver é sua, você é quem decide se entregar ou não. "Eu poderia ter me entregado ao desespero. Provavelmente minha pressão subiria mais, medicamentos já não bastavam para á controlar, isto prejudicaria a mim ao meu filho. Então procurei ficar tranqüila e sorrir! Acho que devemos sempre fazer a melhor escolha, não importa onde nem em qual situação vamos estar. E se as alternativas forem apenas duas: viver ou morrer, escolha viver. Pois a vida vale muito à pena", completa.

Enquanto tomamos um café e assistimos as primeiras travessuras do menino, eu a questiono sobre a idéia de uma nova gravidez. Ela para por alguns instantes, olho fixo para seu filho e responde que é muito grata a Deus por não ter negado-lhe o prazer de ser mãe e explica todos os riscos que uma nova gestação poderia trazer, e logo engata uma brincadeira "Prefiro que ele tenha uma mãe a um irmão! (Risos)". Mariana tem planos de adotar uma criança no futuro, ou várias delas. Segundo ela, há muito amor de mãe em seu coração para distribuir aos que são órfãos deste sentimento. E se um dia, por descuido, deparar-se com uma nova situação destas, não tem dúvidas: vai escolher viver!

Discreta ela não quis ser fotografada, mas sua expressão feliz pode ser comparada com a de qualquer mãe que tem o prazer de embalar e amamentar seu filho. É a vida gerada através de outra vida!

Aluna da disciplina de Técnicas de Entrevista e Reportagem,
ministrada pela professora Maria Lúcia Pata Melão. Temática: perfil

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA