banner multi
Capa Memória Opinião Twitter renova conceitos da comunicação
Twitter renova conceitos da comunicação Imprimir
Escrito por Rodrio Gil   
Domingo, 29 de Novembro de 2009 - 18:39

twitter

O rádio, que surgiu lá no século XIX, era tido como o veículo mais dinâmico, ao transmitir a notícia em tempo real. Essa característica se deve ao fato de dispensar grandes recursos para a cobertura de um evento. Apenas um microfone, um gravador ou um celular basta!

Porém, parece que tudo mudou. Estamos no século XXI, a tecnologia evoluiu, e hoje temos internet, celular, celular com internet (3G) e temos o TWITTER! Ele que surge como o grande vilão para uns, e como um verdadeiro salvador para outros. Pessoas ligadas a algumas empresas de informática, tecnologia e internet, dizem que o twitter é mau, que ele seria um e-mail pobre, cujo  limitado espaço de 140 caracteres não será  aceito pelo internauta. Será?

Primeiro tivemos uma amostra com o caso da morte de Michael Jackson, e na semana passada, nós gaúchos, vivenciamos a potencialidade dessa nova ferramenta de comunicação. As circunstancias não eram as melhores quando um temporal causou grandes prejuízos ao Estado, mas ficou nítido que a geração de agora já escolheu qual será a mídia que usará para  se comunicar. Seria essa a tão falada cibercultura, que nada mais é do que a convergência das telecomunicações com a informática? Preocupante isso, principalmente para o jornal impresso que não pode migrar para o mundo cibernético, o que pode ser feito, e já é utilizados por alguns, é uma versão online. Mas isso basta? O rádio e a TV conseguem penetrar na internet de maneira mais fácil, mas eles mantêm a mesma hierarquia: Emissor - meio - receptor. O internauta não tem participação ativa na produção dos conteúdos noticiados. Novamente o twitter desbanca essas mídias.

O twitter mostrou que, além de ser um espaço destinado ao lazer, serve como um excelente produtor de notícia. O "twitteiro" tem a liberdade de produzir a notícia e informar à sua maneira. Claro que isso corrobora com uma questão muito debatida ultimamente: a não obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da profissão. Acredito que mesmo no mundo virtual, através do twitter ou de qualquer outra ferramenta futura, o internauta deve tomar certos cuidados e seguir os princípios que só são obtidos em uma sala de aula, seja ela de uma universidade, de um curso técnico ou profissionalizante. É necessário ter cuidado com a veracidade dos fatos para não banalizar a notícia.

A única certeza que temos é essa: o twitter mostrou que é capaz de mudar alguns conceitos de comunicação.

Hoje o receptor se tornou, enfim, transmissor! E quem recebe a informação se tornou, enfim, o seu multiplicador!

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA