banner multi
Capa Memória Opinião O horror no Haiti
O horror no Haiti Imprimir
Escrito por Caroline Marques   
Quinta, 14 de Janeiro de 2010 - 17:38

haiti-terremotoO terremoto de sete pontos na escala Richter, que atingiu o Haiti, no último dia 12, e destruiu tudo o que tinha pela frente, principalmente a cidade de Porto Príncipe, arranca de todos que assistem perplexos os noticiários e visualizam as imagens, a expressão: meu Deus que horror!

O cenário de destruição, que inclui um número absurdo de mortos, corpos estendidos pelo chão e pessoas vagando pelas ruas, machucadas, não significa o descaso do governo e nem resulta da falta de verbas. É uma catástrofe que a própria natureza ocasiona. E o que podemos falar? Nada. Não temos como proibir que placas tectônicas se movam abaixo de nossos pés, que morros deslizem e nem a correnteza das águas.

 

Infelizmente daqui a alguns anos, talvez meses, estaremos acostumados a ouvir notícias como esta, e, também, como a da ponte que desabou em Agudo, por causa da força das águas, além do deslizamento em Angra dos Reis e tantas outras tragédias ocasionadas pela fúria da mãe-natureza. São respostas dadas ao descaso com que nós humanos a tratamos.

Embora o cenário seja de devastação e tristeza, algo nos chama atenção: a ajuda de outros países e de voluntários. É emocionante ver que outros países se mobilizam com seus exércitos e voluntários para ajudar o Haiti.E assim deverá ser daqui para frente, pois só poderemos contar mesmo com a solidariedade de quem se compadece com a fúria natural.

Aos nossos colegas do IPA, haitianos que vieram em busca de estudo sempre sorridentes e muito animados, o nosso profundo sentimento com o que aconteceu com o seu país e, talvez, com seus familiares.

Em tempo. Enquanto redigia este texto tocou no rádio a música "We are the world" (Nós somos o mundo). Escrita por Michael Jackson e Lionel Richie, em 1985, e interpretada pelos dois e mais 45 grandes cantores de várias partes do mundo, a composição serviu para arrecadar fundos ao combate à fome na África. A letra condiz muito com o momento vivido pelo Haiti.

Chega o momento quando nós ouvimos uma certa chamada.
Quando o mundo deve vir junto como um.
Há pessoas a morrer.
E é tempo de dar uma mãozinha para a vida.
Alguém, em algum lado mais tarde vai ter a mudança.
Nós somos todos da fantástica e grande família de Deus.
E é verdade, tu sabes, amor é tudo o que precisamos.
Nós somos o mundo, nós somos as crianças.
Nós somos os únicos que fazem o dia brilhante
Então vamos lá começar a doar.
 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA