banner multi
Capa Memória Política Entenda o caso Tonho Crocco e a "Gangue da Matriz"
Entenda o caso Tonho Crocco e a "Gangue da Matriz" Imprimir
Escrito por Anselmo Cunha   
Sexta, 12 de Agosto de 2011 - 11:14

Em dezembro de 2010, o músico Tonho Crocco postou no site de compartilhamento de vídeos, Youtube, um vídeo com o rap "Gangue da Matriz". A música faz referência aos 36 deputados estaduais do Rio Grande do Sul que aprovaram um reajuste na ordem de 73% para os seus próprios salários.

Ofendido com a ação, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, em exercício durante o reajuste, e atual deputado federal, Giovani Cherini, entregou, em janeiro deste ano, ao Ministério Público, um ofício solicitando uma análise sobre o ocorrido, pois alegava que o cantor Tonho Crocco havia cometido um crime contra a honra dos deputados, ao citar seus nomes na letra da música.

Ao receber a notificação de que estava sofrendo um processo em função de sua música, Tonho Crocco socializou a informação e publicou em seu site onde, além de explicar o caso, convidou os internautas a se manifestarem. O músico disse também temer que atos como este do deputado se tornem corriqueiros. "Meu verdadeiro temor é que se abra um precedente coibindo as manifestações políticas; principalmente aquelas que usam de vias pacíficas e da arte como forma de expressão" postou o músico em sua página na internet.

O assunto rapidamente invadiu as redes sociais, principalmente no micro blog Twitter, onde ficou horas entre os assuntos mais comentados no país, através dos Trending Topics. Milhares de mensagens de apoio ao músico foram enviadas na rede o que demonstrou repúdio à ação do deputado. O professor e músico, Militão Ricardo está entre as pessoas que se posicionaram contra a ação do deputado. "Eu acho que foi muita ingenuidade do deputado processar um músico por expressar sua opinião em público, em primeiro lugar. É reprovável a atitude dele por ser censura", argumenta o professor.

Pressionado pela opinião pública, na última sexta-feira (05/08), o advogado do deputado Giovani Cherini enviou ao 3º Juizado Especial Criminal um pedido de arquivamento do processo referente ao caso. Essa ação cancela a audiência de reconciliação, marcada para o próximo dia 22, e retira qualquer penalização que poderia causar ao músico pela composição e divulgação da música.

Em nota, o Sindicato dos Compositores do Rio Grande do Sul afirmou ser contra a atitude de Tonho Crocco ao citar o nome dos deputados na música. A entidade ressalta que é a favor da liberdade de expressão, porém contra atos desrespeitosos. "Somos pela liberdade de expressão, mas também somos pelo respeito às instituições democráticas e pelas pessoas investidas e eleitas legitimamente pelo povo, como nossos representantes", diz trecho do documento entitulado "Carta aberta aos gaúchos".

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA