banner multi
Capa Memória Política Copa 2014 mobiliza Porto Alegre
Copa 2014 mobiliza Porto Alegre Imprimir
Escrito por Guilherme Neves e Rodrigo Figueiró   
Quinta, 28 de Maio de 2009 - 17:09

marca2014Enquanto o mundo pensa na Copa do Mundo de 2010, que será realizada na África do Sul, Porto Alegre e o Estado do Rio Grande do Sul vão mais longe e já planejam o ano de 2014, quando acontecerá o maior evento do futebol mundial, no Brasil, e a capital gaúcha espera ser uma das sedes.

A cidade de Porto Alegre começou cedo os preparativos para receber a Copa do Mundo de 2014. Em 2007, o prefeito da capital, José Fogaça criou o Comitê Gestor para a Copa, que teve a função de iniciar os preparativos da cidade. Em 2008, Porto Alegre apresentou oficialmente sua candidatura ao Comitê Nacional da Copa e da Federação Internacional de Futebol (Fifa) . A partir desse momento, o governo do Estado e a  prefeitura passaram a atuar juntos, buscando fortalecer o nome da cidade e atender às exigências da Fifa.

No final do ano de 2008, a prefeitura da capital criou a Secretaria da copa (Secopa), cujo titular é o vice-prefeito José Fortunati. A Secopa foi criada com o objetivo de buscar parceiros para os investimentos, supervisionar os projetos da prefeitura, acompanhar as reformas nos estádios da dupla Grenal e fazer a relação institucional com os demais agentes envolvidos, como o Governo do Estado, Governo Federal e entidades da sociedade civil. “Acredito que a criação da Secopa demonstra a seriedade e responsabilidade com que a prefeitura trata a candidatura de Porto Alegre”, afirma Fortunati.

A Secopa tem existência pré-definida, ou seja, será extinta 30 dias após encerrado o envolvimento de Porto Alegre com a Copa. Se a cidade for uma das escolhidas como subsedes, no anúncio que será feito pela Fifa, dia 31 de maio, a existência da secretaria irá até 30 dias após o término da competição, não sendo o município escolhido, a Secopa encerra suas atividades no dia 30 de junho. 

A prefeitura encara a Copa não apenas como um grande evento esportivo, mas como uma extraordinária oportunidade para realizar transformações que o município precisa. “Temos a convicção que Porto Alegre sendo escolhida como sede, teremos, em 2015, uma cidade muito melhor”, destacou Fortunati.

O Governo do Estado também vem fazendo a sua parte, em outubro de 2008, a governadora Yeda Crusius instituiu o Comitê Executivo RS – Copa 2014, cujo coordenador é o secretário de Estado do Planejamento e Gestão, Mateus Bandeira. O comitê possui como atribuição promover as interfaces entre governo estadual, governo federal, Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e Fifa. 

O órgão sugere ações para o atendimento das exigências relacionadas ao evento e também foi o comitê que encaminhou toda a documentação e fez os contatos para a inscrição da cidade. Mas não é um órgão executor ou de investimento, tanto que não tem sede, CNPJ, orçamento,  reúne-se para deliberar sobre questões macro quando convocado por seu Coordenador Geral.

O secretário Mateus Bandeira afirma que o RS terá vantagens antes, durante e depois da Copa. Com o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) da Copa (programa com recursos da União) haverá investimentos para as obras de infra-estrutura, conforme os projetos do Estado e prefeitura, como, por exemplo, melhorias na mobilidade urbana, duplicação de avenidas, construção de metrô (ainda não definido) e uma nova ponte sobre o Guaíba. 

O turismo terá investimentos com recursos privados em hotelaria, gastronomia, construção civil, gerando novos empregos. Além do PAC, os recursos para infra-estrutura da Copa, virão de mais duas fontes: Estado com verbas previamente destinadas, conforme o calendário da Fifa e também do município, de acordo com seu orçamento.

A vinda da competição para a capital gaúcha aumentará o fluxo de turistas, e para isso a Setur (secretaria de turismo) já possui vários projetos com base nos recursos do Programa de desenvolvimento do turismo do sul (Prodetur-sul) que beneficiam o turismo do todo o Estado. Haverá também recursos do Ministério do Turismo para as cidades com vocação turísticas, como Porto Alegre, Gramado e Bento Gonçalves. No entanto, é preciso que a Fifa confirme as 12 capitais e anuncie suas exigências, para que os projetos saiam do papel. 

A escolha dos estádios

Sendo Porto Alegre uma das escolhida como subsedes da competição, a Fifa terá de escolher os estádios que sediarão os jogos. No momento, o Estádio Beira-Rio, do Internacional, é o inscrito no caderno de encargos da Fifa, que autoriza a utilização de apenas um estádio por cidade para jogos oficiais da Copa do Mundo. Se cumprir as exigências e for aprovado nas vistorias anuais, o Beira-Rio estará confirmado.

Segundo o engenheiro do patrimônio do Inter, Carlos Marques, o clube investirá cerca de R$ 40 milhões na modernização do estádio, para que possa atender todas as exigências da entidade Internacional que comanda o futebol e proporcionar um conforto maior para os torcedores. Marques afirma que fundamentalmente ainda falta para o Beira-Rio aumentar a capacidade de pessoas sentadas. Após o processo de modernização, o Estádio passará a se chamar “Gigante para Sempre”.

O futuro estádio do Grêmio, a Arena Tricolor, que será construída a partir do início de 2010, no bairro Humaitá, zona norte de POA, foi inscrito posteriormente e poderá ser utilizado antes da Copa para amistosos e treinamentos de seleções que ficarem hospedadas próximas a capital. Porém, o Grêmio acredita que a nova sede do clube possa ser escolhida para abrigar os jogos da Copa 2014 e até mesmo os jogos da Copa das Confederações, evento a ser realizado em 2013 e que servirá como teste para a competição principal no ano seguinte.

José Fortunati salienta que as estruturas dos estádios da dupla grenal não serão apenas “estádios de futebol”, mas grandes projetos que englobam centro de convenções, hotéis, shoppings, áreas de lazer. O vice-prefeito destaca que as modernizações dos estádios não serão realizadas com o dinheiro público, porém afirma que a prefeitura de Porto alegre não mediu esforços para ajudar na viabilização dos empreendimentos da dupla grenal. Em dezembro de 2008 foi aprovado um projeto do poder executivo, alterando regimes urbanísticos das áreas dos clubes, permitindo assim que as construções e reformas sejam realizadas.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA