banner multi
Capa Memória Política Venda do terreno da Fase é adiada novamente
Venda do terreno da Fase é adiada novamente Imprimir
Escrito por Matheus Pannebecker e Rafaela Haygertt   
Quinta, 10 de Junho de 2010 - 14:39

faseO Projeto de Lei que determina a venda do terreno da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo, a Fase, teve votação adiada, mais uma vez, nesta quarta-feira, 9 de junho. A medida, de número 388/09, prevê que 73 hectares localizados no morro Santa Teresa, quase em frente ao estádio Beira-Rio, sejam leiloados.

A sessão contou com a presença de 26, dos 55 deputados da Casa, isto é, de quase 50% dos parlamentares. Os partidos com maior registro de ausências foram o PDT e o PP. O primeiro alegou falta de quorum em função da necessidade de estudar melhor o projeto enquanto o PP justificou ter compromissos no interior do Estado.

Segundo o líder da bancada governista, Adilson Troca do PSDB, a área que está ocupada não vai ser vendida. Ele afirma que somente os terrenos que não estão habitados serão leiloados."Com o dinheiro que o governo receberá da venda, serão construídas nove unidades da Fase na região metropolitana. Isso será ótimo, já que possibilitará a descentralização da organização", garante.

No entanto, uma parcela dos deputados e os moradores da região do terreno não estão satisfeitos com estes argumentos. "O governo prometeu até três salários mínimos para os moradores que forem transferidos. Mas, ele não veio falar com a gente, não houve negociação, quando soubemos já estavam vendendo tudo", denuncia Mirne Barbosa, aposentada, que mora há 16 anos na região. A principal preocupação da moradora é a filha. "Ela está estudando. Se formos transferidos, ela perde o ano", lamenta.

O deputado Raul Pont, do PT, diz que concorda em melhorar a Fase, mas que não se pode passar por cima das famílias. "Nós temos certeza que o problema não é dinheiro. A governadora teve um bilhão de reais liberado. Com dez por cento disso dá para fazer dez abrigos para a Fase", acredita.

Já o deputado Raul Carrion, do PCdoB, destaca a força do movimento e sua torcida pelos moradores. "A mobilização, independente do resultado até agora, foi fundamental. Não só aqui dentro da Assembleia, mas também visitando os deputados nos gabinetes e discutindo os direitos de cada um. Vamos à luta e vamos à vitória!"

O projeto de lei entrará novamente em votação na próxima quarta-feira, 16 de junho.

 


Notícias relacionadas


Expediente

Mapa do Site :: Portal Universo IPA - 1º lugar na Intercom Nacional de 2008 :: Expediente
Creative Commons © 2005-2013 :: AJor - Agência Experimental de Jornalismo IPA